BEM-ESTAR ANIMAL

ParCão no Rosinha Cadar é defendido por frequentadores e parlamentares

Segundo a PBH, é possível destinar parte do parque, localizado no Santo Agostinho, ao lazer e socialização de animais

terça-feira, 9 Novembro, 2021 - 20:00
Foto: Karoline Barreto/CMBH

A possibilidade de implantação de espaço público dedicado ao convívio e socialização de pets no Parque Rosinha Cadar, localizado entre as Ruas Matias Cardoso e Rodrigues Caldas, no Bairro Santo Agostinho, foi discutida pela Comissão de Meio Ambiente, Defesa dos Animais e Política Urbana, nesta terça-feira (9/11). De autoria dos vereadores Wilsinho da Tabu (PP), Gabriel (sem partido) e Wanderley Porto (Patri), a audiência pública sobre a criação de um espaço denominado ParCão foi requerida tendo em vista não apenas a grande frequência de pets no local, bem como em decorrência da morte de uma cadela da raça yorkshire, que, no dia 22 de agosto, foi atropelada ao sair do parque da região Centro-sul de BH. O incidente suscitou a necessidade de se discutir a implantação, no local, de um espaço que congregue segurança e adequações suficientes para que as famílias tenham momentos de lazer com seus pets com a devida segurança. Wilsinho da Tabu afirmou que irá requerer a realização de uma visita técnica ao parque com a presença de frequentadores e da Prefeitura para que se discuta a melhor forma de implantação do ParCão.

Wilsinho também listou ações de seu mandato para que o ParCão se torne realidade no Rosinha Cadar e em outros espaços da cidade. Entre as iniciativas, estão emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias para que a Prefeitura trate do manejo de animais e a destinação de R$ 70 mil, por meio de emenda impositiva ao orçamento de 2022, para implantação do ParCão no Rosinha Cadar, propiciando um ambiente adequado à interação entre animais domésticos e a população. Além disso, o parlamentar também apresentou a Indicação 206/2021, sugerindo à Fundação de Parques Municipais a instalação de um espaço público destinado aos pets - ParCão - no Parque Orlando de Carvalho Silveira, localizado na Rua Juruá, 860.

Para Wanderley Porto, o Parque Rosinha Cadar precisa de poucas adequações para que se torne um espaço com a devida segurança para os pets. Ele salientou que a demanda não é pela construção de um novo parque, mas apenas para que adaptações na estrutura já existente sejam executadas. O parlamentar também defendeu maior sensibilidade da PBH em relação ao bem-estar animal e o aprimoramento da estrutura administrativa da Prefeitura no que tange à defesa animal.

Ao defender a causa, Professora Marli (PP) destacou que muitas pessoas têm os pets como parte da família, salientando que os animais precisam ser bem tratados e merecem espaços adequados para sua socialização. Para a parlamentar, é necessário que os defensores dos animais unam forças para que projetos de ParCão sejam implantados nos espaços públicos da cidade.

Segurança para os animais

Maitê Teixiera, que trabalha no ramo de pets, explicou que os tutores escolheram o Parque Rosinha Cadar como espaço para passear com seus animais e, portanto, precisam de adaptações. Ela contou que estava no local, no dia 22 de agosto, quando a cadela yorkshire fugiu do parque e foi atropelada por um veículo e, para que acidentes como esse não venham a acontecer novamente, adequações para tornar o local mais seguro para os pets são necessárias.

Bióloga e adestradora de cães e gatos, Ingrid Rezende colocou o Parque Rosinha Cadar como seu espaço predileto para levar os animais. Ela também destacou os benefícios que o contato com animais de estimação traz para crianças, como a aquisição de maior senso de responsabilidade desde a infância.

Em relação às intervenções necessárias no parque, foram listadas a separação do espaço para socialização de cães por porte dos animais e a implantação de uma estrutura que evite a fuga de cães do parque. Além de adaptações no parque, foram demandadas intervenções na área externa ao Rosinha Cadar. Para que os animais tenham a segurança garantida, foram citadas a possibilidade de instalação de redutores de velocidade para veículos nas proximidades do espaço público, bem como adaptações no estacionamento de veículos.

Possibilidades para implantação do ParCão

Representando a Fundação de Parques Municipais, Benito Drummond afirmou que é possível a implantação do ParCão no Parque Rosinha Cadar. Ele explicou que este é um dos 13 parques de BH no qual a presença de animais de estimação já é permitida. Ele também destacou que os parques municipais contam com normatização que os colocam entre os espaços mais democráticos da cidade, não sendo possível, portanto, fechá-los por completo para o uso de animais e seus tutores. O representante da PBH afirmou que o Parque Rosinha Cadar é frequentado não apenas por tutores de animais, bem como por alunos da Escola Integrada, por praticantes de atividades físicas e outros grupos que também precisam ser contemplados no uso desse espaço público.

Diante desse cenário, Benito Drummond afirmou que uma possibilidade inicial seria cercar aproximadamente um terço do parque para que tal espaço seja destinado à socialização dos animais acompanhados de seus tutores. Para tanto, de acordo com ele, seria necessário desfazer alguns jardins lá existentes e também adaptar a regulamentação do espaço. Ele explicou, ainda, que a Prefeitura já fez um orçamento prévio para as intervenções necessárias e vem buscando recursos para implementá-las.

Os tutores presentes na audiência, entretanto, argumentaram que dada a grande frequência de animais de estimação no local, seria necessária a destinação de uma área maior do que a inicialmente aventada por Benito Drummond para a implantação do ParCão no Rosinha Cadar. Com o objetivo de avançar na ideia de implantação do ParCão, Wilsinho da Tabu informou que irá requerer a realização de uma visita técnica ao Parque Rosinha Cadar, com a presença dos participantes da audiência, de modo que possam discutir in loco a área mais adequada a ser destinada aos pets. Ele salientou que a ideia não é excluir ninguém do parque, mas, sim, incluir a todos, garantindo que também os tutores e seus animais de estimação tenham uma área adaptada e segura para seu uso.

Assista ao vídeo da reunião na íntegra.

Superintendência de Comunicação Institucional

Audiência pública para discutir sobre a possibilidade de implementação do Pacão- Espaço Público Dedicado ao Convívio e Socialização dos PETs - Parque Rosinha Cadar- 36ª Reunião Ordinária- Comissão de Meio Ambiente, Defesa dos Animais e Política Urbana