SEGURANÇA

Comissão Especial vai discutir alternativas contra fechamento de Companhias da PM

Colegiado foi criado a partir da demanda de moradores, que temem aumento da insegurança na Capital

terça-feira, 3 Outubro, 2017 - 18:30
Vereadores em reunião da Comissão Especial sobre fechamento de Companhias da Polícia Militar
Foto: Abraão Bruck/Câmara de BH

A Comissão Especial de Estudos criada para discutir o possível fechamento de 10 Companhias da Polícia Militar em BH elegeu nesta terça-feira (3/10) o vereador Irlan Melo (PR) como presidente e o vereador Juliano Lopes (PTC) para a relatoria dos trabalhos. Os parlamentares demonstram preocupação com a proposta do governo do estado, que pretenderia substituir as unidades por 86 bases móveis. O principal receio é que a medida comprometa o combate à violência e aumente ainda mais a sensação de insegurança da população. A expectativa é que o plano de trabalho seja apresentado na próxima reunião do colegiado, ainda sem data definida. Orlei (PTdoB), Juninho Los Hermanos (PSDB) e Carlos Henrique (PMN) também integram a Comissão Especial, na condição de membros efetivos.

Em março deste ano, o governo do estadual anunciou a implantação de nova estratégia de segurança, apoiada na atuação setorizada da Polícia Militar. O projeto vai ter BH como território piloto e prevê a disponibilização de bases móveis (vans) em 86 pontos estratégicos da Capital, cobrindo cada qual uma área de 4 quilômetros.

Para os vereadores membros da Comissão Especial de Estudos, a mudança poderia trazer efeitos positivos, se não fosse acompanhada pelo possível fechamento de pelo menos 10 Companhias da Polícia Militar em Belo Horizonte. “Temos que somar. Precisamos agregar mais segurança para a cidade, e não perder o que temos”, defendeu o vereador Juninho Los Hermanos (PSDB).

Na mesma perspectiva, Irlan Melo, presidente do colegiado afirmou que, em diferentes bairros, a comunidade tem demonstrado preocupação com a mudança, temendo o aumento da violência com a eventual desativação das unidades. “Sou contra o fechamento das Companhias”, destacou o parlamentar, que esclareceu ainda que o principal objetivo da comissão é contribuir com o poder público na construção de políticas que garantam mais tranquilidade para o cidadão.

Eleito relator, o vereador Juliano Lopes esclareceu que o plano de trabalho será apresentado já na próxima reunião do colegiado. A expectativa, segundo ele, é que a Comissão Especial realize visitas técnicas a Companhias de correm o risco de ter seu funcionamento interrompido, bem como audiências e reuniões com comunidades afetas e com órgãos públicos responsáveis pela condução das políticas de segurança.

Superintendência de Comunicação Institucional 

[flickr-photoset:id=72157686885523660,size=s]