MOBILIZAÇÃO

Retirada dos cobradores das linhas de ônibus afeta toda a região metropolitana

Vereadores de diversos municípios vão se unir em uma Frente Parlamentar Intermunicipal em Defesa dos Cobradores

quarta-feira, 29 Novembro, 2017 - 19:00
Parlamentares e convidados compõem mesa de reunião
Foto: Abraão Bruck/CMBH

A presença das mesmas concessionárias de ônibus em toda a região metropolitana (34 municípios), com contratos de 30 a 40 anos de exploração, tem sido cada vez mais questionada pela população. A reflexão foi levantada por vereadores de oito cidades da região metropolitana de Belo Horizonte, reunidos a convite da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário, na tarde desta quarta-feira (29/11), na Câmara de BH. Os parlamentares defenderam o retorno dos agentes de bordo, chamados popularmente de cobradores ou trocadores, para as linhas em circulação, e cobraram transparência nas planilhas de lucros e despesas das concessionárias.

“A situação está confortável para as empresas porque têm o monopólio do serviço”, alertou a vereadora Alessandra Cristina Oliveira (Alessandra do Brumado - PPS), presidente da Câmara Municipal de Brumadinho, destacando que os valores abusivos nas passagens, a precariedade dos ônibus em circulação e os desmandos devem ser combatidos de forma coletiva. A parlamentar explicou que conseguiu aprovar em seu município uma lei que obriga a presença do cobrador em todas as linhas de ônibus locais, no entanto, apesar da lei estar em vigor, “ainda não consegui que ela seja cumprida”, lamentou, afirmando que falta interesse político dos prefeitos para que o serviço seja fiscalizado e as multas sejam aplicadas às empresas infratoras.

Na mesma perspectiva, o vereador Rafael Martins (PMDB) destacou que “a luta é dura. Por isso precisamos unir forças. Sabemos que estamos enfrentando uma barreira quase intransponível”. O parlamentar explicou que teve a iniciativa de convocar essa reunião, em parceria com o vereador Carlos Henrique (PMN), na expectativa de criar a Frente Parlamentar Intermunicipal em Defesa dos Cobradores. Com o apoio dos demais vereadores, o colegiado deve atuar de forma itinerante, reunindo-se mensalmente nos diversos municípios, a fim de envolver cada vez mais parlamentares na luta.

Extinção dos cobradores

Em processo de implantação na capital e região há cerca de dois anos, a retirada dos cobradores dos períodos noturnos e finais de semana já afeta seis mil famílias, conforme dados apresentados pela categoria. No entanto, além do desemprego, os parlamentares destacaram preocupação com a sobrecarga gerada ao motorista, que passou a incorporar as funções do agente de bordo. O acúmulo de tarefas estaria colocando em risco a segurança dos usuários, ao favorecer a desatenção do motorista, e ampliando a possibilidade de acidentes, além de deixar mais lento o processo de cobrança e, por conseguinte, aumentar a duração da viagem.

Vereador na cidade de Ribeirão das Neves, Vanderlei Delei (PTC) contou que também conseguiu aprovar uma lei municipal que garantia a presença dos cobradores nas linhas que operam na cidade, no entanto, por força de liminar judicial, em ação movida pelas empresas concessionárias, a medida foi suspensa antes mesmo de entrar em vigor. O parlamentar destacou que, em 2015, quando os cobradores foram demitidos, a passagem não foi reduzida, tendo sido, pelo contrário, aumentada por duas vezes. Entendendo que a medida reduz as despesas das empresas concessionárias, mas não tem sido refletida na tarifa cobrada dos usuários, o parlamentar defendeu a mobilização dos vereadores pela transparência das planilhas e pelo retorno dos cobradores.

“As empresas não estão lucrando? O sistema é deficitário? A gente ouve muita coisa, mas, até agora, no papel mesmo, não recebemos nada que comprove isso”, alertou o vereador Juliano Lopes (PTC), destacando que a Frente Parlamentar deve acompanhar o processo e os resultados da auditoria do transporte coletivo a ser realizada pela Prefeitura. “Ninguém permanece em um negócio que está dando prejuízo por 40 anos. Isso não faz sentido”, ponderou o parlamentar, rejeitando a argumentação de que a demissão dos cobradores e o aumento regular das passagens estejam ligados à necessidade de reduzir custos em um negócio deficitário.

Atuação coletiva

A reunião contou com a presença de parlamentares e assessores das Câmaras Municipais de Raposos, Mário Campos, Brumadinho, Ibirité, Esmeraldas, Ribeirão das Neves e Santa Luzia, além dos vereadores de BH. Diante da mobilização ainda parcial da região metropolitana, o vereador Cláudio da Drogaria Duarte (PMN) destacou que todos devem se empenhar em sensibilizar seus pares para o tema, lembrando a importância do debate para toda a população regional.

Carlos Henrique pontuou que já tramita na Câmara de BH o Projeto de Lei 175/17, de sua autoria (junto aos vereadores Jair Di Gregório - PP e Elvis Côrtes - PSD), em que é previsto o retorno dos agentes de bordo aos ônibus da capital. No entanto, destacou que deve haver um esforço coletivo para que o texto não seja vetado pelo prefeito ou mesmo impedido pela Justiça.

Superintendência de Comunicação Institucional

[flickr-photoset:id= 72157690283961375,size=s]