AUDIÊNCIA PÚBLICA

Parlamentares querem balanço da implantação de bases móveis da PM

Em vigor na há cerca de três meses, nova estratégia de segurança pode levar ao fechamento de 10 Companhias 

sexta-feira, 24 Novembro, 2017 - 17:30
Fachada do batalhão da Polícia Militar
Foto: Adão de Souza/Portal PBH

Quais os impactos já percebidos em curto prazo com a implantação das bases móveis? Houve redução nos índices de violência? Qual a economia financeira para o Estado e para o Município? Questionada por moradores, especialistas em segurança pública e parlamentares, a nova estratégia de segurança implementada pela Polícia Militar na Capital, que deve substituir diversas companhias por bases comunitárias, está em vigor há pouco mais de três meses e ainda gera dúvidas na população. Buscando avaliar o projeto e realizar um balanço da mudança até o momento, a Comissão Especial constituída para debater a proposta de fechamento de companhias da PM realizará audiência pública sobre o tema, na próxima segunda-feira (27/11), às 14h, no Plenário Camil Caram.

Realizada por solicitação da vereadora Nely (PMN), a audiência deve discutir o custo mensal das bases, em relação às extintas companhias; o volume de ocorrências recebidas e atendidas; os impactos para a segurança dos moradores e dos comerciantes, assim como os impactos da nova estratégia para a relação entre os policiais e a comunidade.

Foram convidados para a reunião o secretário de Estado de Segurança Pública, Sérgio Barboza Menezes; o secretário municipal de Segurança Urbana e Patrimonial, Genilson Ribeiro Zeferino; o comandante da Polícia Militar de Minas Gerais, Coronel Helbert Figueiró de Lourdes, e representantes da Câmara Dirigentes Lojistas (CDL) e dos conselhos comunitários de Segurança Pública Belo Horizonte.

Superintendência de Comunicação Institucional