VILAS E FAVELAS

Comunidade cobra urbanização de vias no Bairro Vista do Sol

Falta asfalto e saneamento em alguns trechos. As primeiras obras estão previstas para começar em 2018

segunda-feira, 11 Setembro, 2017 - 14:15
Vereador branco analisa um pepel branco, que contem mapa e projeto técnico de obra no bairro Vila do Sol
Foto: Rafa Aguiar/CMBH

Há anos a comunidade do Bairro Vista do Sol, na Região Nordeste da Capital, cobra a urbanização de duas vias que permanecem sem a infraestrutura mínima para o tráfego de pessoas. Trata-se da Rua 13 e da Rua 30, que contam com trechos situados em área acidentada e em forte declive. Os locais foram visitados nesta segunda-feira (11/9), pela Comissão de Saúde e Saneamento. Requerente da atividade, o vereador Edmar Branco (PTdoB) defendeu a realização de intervenções ágeis na região, no intuito de melhorar a qualidade de vida da população.  

Na Rua 13 (foto abaixo), o principal problema é a falta de asfalto e a dificuldade de acesso. Moradores do trecho compreendido entre as vias 20 e 23 reclamam que na estação das chuvas é quase impossível entrar e sair de casa. Mesmo nos dias secos, contudo, o terreno acidentado e escorregadio dificulta a passagem de idosos e de pessoas com deficiência, bem como o atendimento por serviços básicos, como a coleta de lixo.

Obras

Em 2009, a comunidade aprovou a realização de reformas na Rua 13, por meio do Orçamento Participativo. Orçada em R$ 1,6 milhão, a obra previa implantação de escadas e passagens para pedestres. A proposta, no entanto, foi posteriormente rejeitada pelos próprios moradores, que demandaram uma intervenção que também viabilizasse a passagem de veículos.

Segundo Adriana Lemos, representante da Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel), após o diálogo com a comunidade um novo projeto está sendo elaborado, desta vez com a previsão de acesso veicular em parte da via. Com o custo estimado em R$ 3,2 milhões, o dobro do aprovado anteriormente no OP, a obra ainda não tem previsão de sair de papel. Segundo Lemos, as alternativas de financiamento possível envolvem a inscrição da proposta em rodadas futuras do Orçamento Participativo ou a busca de financiamento quando houver abertura de programas de captação externa de recursos.

Para Edmar Branco, as intervenções são urgentes e podem fazer grande diferença para a qualidade de vida da população. “Neste trecho da Rua 13 a situação é muito precária e impõe muitas dificuldades ao morador. Vamos continuar acompanhando a situação para buscar soluções com o poder público”, destacou o vereador. Branco afirmou ainda que vai enviar ofício solicitando reunião com o prefeito Alexandre Kalil, no intuito de discutir alternativas para agilizar a urbanização do trecho.

Asfalto e saneamento

Há cerca de 200 metros dali, na Rua 30 (foto ao lado), também falta pavimentação. O problema ocorre no trecho compreendido entre as Ruas 20 e 29, onde as residências também não estão ligadas à rede de esgoto. Segundo a representante da Urbel, no entanto, o problema no local está mais próximo de ser resolvido.

De acordo com Adriana Lemos, o projeto de pavimentação e saneamento do local está em fase de conclusão. A expectativa é que ele seja encaminhado à apreciação do Conselho Municipal de Saneamento (Comusa) em 2018, ano em que se espera que as obras tenham início.    

Membro do Comusa, o vereador Edmar Branco afirmou que vai acompanhar de perto a tramitação do projeto. O vereador solicitou ainda a realização de capina na Rua 30, bem como se comprometeu a acionar a Copasa para discutir problemas relativos ao saneamento: “Alguns moradores estão sendo cobrados por um serviço que não recebem. Nesse trecho da via não existe ligação com a rede de esgoto, mas a taxa vem na conta, mesmo assim”, lamentou. A proposta do vereador, diante da situação, é reunir na comunidade as pessoas afetadas e dar inicio a uma ação coletiva para por fim às cobranças indevidas.

Superintendência de Comunicação Institucional 

[flickr-photoset:id=72157688908794085,size=s]