ESTAÇÕES BRT/MOVE

Comissão apura falta de segurança, superlotação e falha nas escadas rolantes

Relatório com as principais demandas será encaminhado aos órgãos responsáveis

terça-feira, 26 Setembro, 2017 - 16:15
Foto: Rafa Aguiar / CMBH

As condições de funcionamento das Estações Pampulha e Vilarinho, que integram o sistema BRT/Move da capital, foram verificadas em visita técnica realizada pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transportes e Sistema Viário, nesta terça-feira (26/9). De acordo com a requerente da atividade, vereadora Nely (PMN), problemas na prestação dos serviços, como escadas rolantes inoperantes, falta de segurança e de manutenção, atrasos de chegada dos coletivos, insuficiência de linhas alimentadoras e superlotação foram constatados. Após a vistoria, a parlamentar informou que vai encaminhar um relatório com avaliações e sugestões de melhorias a serem entregues aos órgãos públicos competentes.

Estação Pampulha

A Estação Pampulha, por onde passam cerca de 60 mil pessoas por dia, foi a primeira a ser visitada. Entre as principais queixas dos usuários está a falta de segurança no local, fato que contribui para ações de vandalismo e depredações das instalações.

Entre as plataformas o acesso é dificultado, devido aos constantes problemas com as escadas rolantes que, segundo alguns passageiros, chegam a ficar por mais de 30 dias inoperantes. Representante da Comissão Regional de Transportes e Trânsito da Pampulha, Reginaldo Dória também denuncia a insuficiência de linhas alimentadoras, que fazem a interligação entre os bairros e a estação, causando, principalmente em horários de pico, filas intermináveis.

Estação Vilarinho

Também na Estação Vilarinho, o problema com a falta de segurança foi apontado pelos usuários. A existência de apenas um segurança patrimonial a cada turno, associada à ausência de guardas municipais, gera insegurança no local e favorece a ação de vândalos e a presença de ambulantes ilegais.

O problema com as escadas rolantes que, segundo os usuários, permanecem estragadas ou desligadas por vários dias se repete, como detectado na Estação Pampulha. Outra falha apurada é com relação aos monitores estragados, que impedem que os passageiros saibam quando os coletivos irão passar.

Quanto às dificuldades apontadas pelos usuários na Estação Vilarinho, a representante da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), Maria das Graças Silveira, disse que “o fundo destinado a cobrir pequenos reparos e manutenções na estação não recebe qualquer repasse já há algum tempo; outras demandas, no entanto, são de responsabilidade da empresa Transfácil”, afirmou.

Encaminhamentos

Segundo a vereadora Nely, várias denúncias de moradores das regiões, que motivaram a realização da visita, foram confirmadas durante a atividade. A parlamentar informou que será encaminhado, para cada órgão responsável, um relatório de cada estação, com as principais demandas e deficiências apuradas, para que sejam providenciadas as devidas adequações.

“Estas adversidades enfrentadas todos os dias pelos usuários precisam ser sanadas. Eles pagam caro pelo uso do transporte coletivo e não é justo que não possam desfrutar de um serviço de qualidade”, disse Nely.

Superintendência de Comunicação Institucional

[flickr-photoset:id=72157660889405408,size=s]