AUDIÊNCIA PÚBLICA

Fechamento de centro de saúde é tema de debate entre PBH e comunidade

Segundo moradores do Paulo VI, PBH vai fechar o Centro de Saúde Marivanda Baleeiro. Executivo promete entregar nova unidade

segunda-feira, 12 Abril, 2021 - 14:45
Google Street View

O possível fechamento do Centro de Saúde Marivanda Baleeiro, localizado no Bairro Paulo VI, será tema de audiência pública a ser realizada na próxima quarta-feira (14/4), às 13h, no Plenário Helvécio Arantes. O encontro foi aprovado pela Comissão de Saúde e Saneamento, em reunião realizada no dia 7 de abril. Localizado na Rua Antônio Mariano de Abreu, 750, no Bairro Paulo VI, Região Nordeste da Capital, o Centro de Saúde Marivanda Baleeiro tem previsão de desativação para o dia 19 de abril, conforme informado no pedido de audiência feito pela vereadora Bella Gonçalves (Psol). Segundo relatos da comunidade, houve aumento dos usuários da área de abrangência do centro de saúde, causando a sobrecarga dos trabalhadores e comprometimento dos atendimentos da atenção básica. Ainda segundo moradores, ao invés da Prefeitura construir outra unidade para dar suporte e ampliar os atendimentos diante do aumento do número de usuários da área de abrangência, a PBH desativará o centro existente, gerando comprometimentos à saúde da população.

Transferência

Questionada sobre o fechamento da unidade, a Secretaria Municipal de Saúde respondeu que o centro de saúde não será fechado, mas sim transferido para nova sede, que está em fase final de construção e funcionará na Rua Três Mil e Setenta e Quatro, 555, Bairro Paulo VI. Segundo a secretaria, haverá ainda a ampliação do número de equipes de Saúde da Família, passando de cinco para seis. (Confira texto integral da resposta da PBH ao final da matéria)

Segundo Bella Gonçalves, a demanda do local é gigantesca e a ideia é que os dois centros de saúde funcionassem simultaneamente como forma de garantir o atendimento integral, considerando a densidade populacional do local. Ainda segundo Bella, a demanda da realização de audiência pública surgiu a partir de conversas com o ex-vereador Edmar Branco, que é da comunidade e afirmou à vereadora que a Secretaria de Saúde informou há pouco tempo que “desativaria” o Centro de Saúde Marivanda, que tem mais de 40 anos de existência, transferindo-o para outro local.

Convidados

Integram a lista de convidados para o debate a gerente do Centro de Saúde Marivanda Baleeiro, Raquel Borlido; os representantes da Comissão Local do Centro de Saúde, Emerson Braga e Célio Serafim; as lideranças comunitárias Edmar da Cruz e Emília dos Santos; o representante do Conselho Distrital de Saúde Regional Nordeste, Roberto Blasig; a presidente do Conselho Municipal de Saúde de BH, Carla Anunciatta, e o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto, além de representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de BH (Sindibel).

Resposta da PBH

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que o Centro de Saúde Marivanda Baleeiro não será fechado, apenas transferido para a nova sede, que está em fase final de construção e funcionará na Rua Três mil e setenta e quatro, 555, bairro Paulo VI.

O local foi aprovado como prioridade dentro do grupo de 40 novas sedes de unidades de saúde em Belo Horizonte que estão sendo construídas via Parceria Público Privada (PPP). A construção de uma nova unidade de saúde para a região é fundamental para que seja garantido conforto aos usuários e funcionários, identidade visual própria, tecnologias sustentáveis, revestimento de fácil higienização, acessos independentes, humanização dos ambientes, número suficiente de consultórios e salas que suportam o incremento de recursos humanos e população vinculada. Além da nova sede, haverá ampliação do número de Equipes de Saúde da Família, de cinco para seis.

As unidades da PPP são padronizadas e contam com dois pavimentos, cerca de 1.100m2 cada, divididos em 17 consultórios, farmácia, salas de odontologia, vacina, observação e para coleta de material, além de áreas administrativas e espaços reservados para reunião.

Os centros de saúde terão áreas com 100% de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida. Para a realização das obras, tem sido usado um modelo industrializado, em que as estruturas de concreto com fechamentos de tijolos/blocos ou alvenaria estrutural são substituídas por uma estrutura de aço galvanizado leve, revestida com placas prontas para receber pintura ou revestimentos. Essa tecnologia tem possibilitado mais rapidez na conclusão da obra.

Secretaria Municipal de Saúde

 

Superintendência de Comunicação Institucional