DIFICULDADES DE ATENDIMENTO

Moradores do Bairro Trevo questionam transferência de centro de saúde

Parte dos serviços será transferida para contêineres instalados na ocupação Dandara. Secretaria vai ao bairro esclarecer comunidade

terça-feira, 7 Novembro, 2017 - 18:00
Foto: Gabinete do Vereador Cláudio da Drogaria Duarte

Usuários do Centro de Saúde do Bairro Trevo, na Regional Pampulha, relataram a sobrecarga da unidade, especialmente após o cadastramento dos moradores da ocupação Dandara, instalada nas proximidades, e temem os impactos da transferência do atual anexo para 13 contêineres instalados no loteamento irregular. O assunto foi tema de audiência pública da Comissão de Saúde e Saneamento nesta terça-feira (7/11). O requerente da reunião, vereador Fernando Luiz (PSB), e o colega Cláudio da Drogaria Duarte (PMN) apresentaram questionamentos à Secretaria Municipal de Saúde e encaminharam a realização de um novo encontro, no próprio bairro, com vistas a esclarecer as dúvidas dos usuários do equipamento.

Fernando Luiz e Cláudio da Drogaria ressaltaram a importância da oferta de serviços públicos essenciais às famílias residentes na Dandara e asseguraram que a intenção da comissão não é a de questionar a oferta do atendimento na área ocupada, e sim os impactos a que estarão sujeitos os usuários originais da unidade, que atende moradores dos Bairros Trevo, Braúnas e Garças, além de partes do Céu Azul e Nova Pampulha. Segundo o líder comunitário Fernando Basílio, que se pronunciou após a exibição de imagens das instalações e depoimentos de usuários, a população teme a redução da capacidade de atendimento, que vinha suprindo de forma satisfatória a demanda, e a possibilidade de ter de percorrer uma longa distância até a Dandara.

Representando a gerente do Centro de Saúde, a servidora Maria do Rosário Arruda testemunhou a sobrecarga do equipamento, que fica na Rua José Simplício, cuja construção e ampliação foram conquistadas pela comunidade em duas edições do Orçamento Participativo. A segunda demanda, no entanto, nunca saiu do papel, tendo sido substituída pelo aluguel de um imóvel próximo e a divisão do atendimento entre as duas unidades. Devido a circunstâncias que impediram a renovação do contrato de locação, os serviços que vinham sendo prestados no anexo serão transferidos para 13 contêineres instalados na Comunidade Dandara, no bairro vizinho Céu Azul. A situação tem preocupado os moradores do Trevo e adjacências, que temem ficar desassistidos até a conclusão das obras.

Aumento da demanda

A questão do C.S.Trevo já vem sendo acompanhada há algum tempo pela Comissão de Saúde e Saneamento; no final de setembro, foi realizada uma visita técnica ao local, a fim de verificar a infraestrutura e as condições de atendimento. O relatório confirma que, no momento, o prédio principal ainda está em obras - já em fase de conclusão - e tem sido usado apenas pela equipe de Zoonoses e pelos Agentes Comunitários de Saúde (ACSs) para a execução de atividades burocráticas. Os demais atendimentos, consultas e exames estão sendo realizados no anexo, que conta com duas equipes do Programa Saúde da Família (PSF).

A diretora de Saúde da Pampulha, Elisane Rodrigues, que representou Regional e a Secretaria Municipal de Saúde, explicou que a decisão da mudança decorreu do significativo aumento da demanda gerado pela ocupação Dandara, que acrescentou cerca de 4.500 novos usuários à área de abrangência da unidade e, devido à classificação de maior vulnerabilidade, concentra hoje grande parte dos atendimentos. Segundo ela, após a migração do anexo para a ocupação e a conclusão das obras, a sede principal passará a atender exclusivamente os usuários locais, e nenhuma das comunidades ficará prejudicada. Para tranquilizar os moradores, ela negou que a transferência irá ocorrer antes da conclusão das obras da sede, o que obrigaria idosos, deficientes, gestantes e crianças a se deslocar até a ocupação para acessar os serviços. 

Migração entre as unidades

Respondendo a questionamento do vereador Fernando Luiz, segundo o qual não seria justo “desestruturar um equipamento para estruturar outro”, a gestora informou que está prevista a disponibilização de quatro equipes de Saúde da Família, sendo duas na sede e duas para os moradores da Dandara e parte do Céu Azul e Nova Pampulha. Para tranquilizar os moradores do Trevo, Braúnas e Garças, ela afirmou que a transferência do anexo para o novo local, instalado provisoriamente em contêineres devido a pendências sobre a regularização do terreno, só será feita após a conclusão das obras da sede, que agregará ainda o serviço de odontologia. Além disso, refutando rumores que correm no bairro, garantiu que a farmácia não será transferida para a ocupação, que disporá de sua própria unidade.

Fernando Basílio, em nome dos demais usuários da sede, assim como Maria do Rosário, defendeu o direito dos moradores da ocupação mas recomendou a instalação de um equipamento distinto e completo para atender à Dandara e comunidades adjacentes. Além da sobrecarrega dos profissionais, eles apontaram a distância e o acesso difícil, que vêm gerando insegurança em moradores e servidores que receiam ter de se deslocar entre o bairro e a ocupação em caso de férias ou licença de profissionais, por exemplo; da mesma forma, eles consideraram as dificuldades enfrentadas pelos moradores de lá para a utilização de serviços exclusivos da sede, como odontologia e vacinação, sugerindo a disponibilização de estrutura e equipes exclusivas e o cadastramento distinto dos usuários nas respectivas unidades.,

Encontro no próprio bairro

Com relação às queixas sobre a falta de pediatras na unidade, mesmo com o substancial aumento da demanda, a representante da Prefeitura alegou a escassez de profissionais no mercado e informou o estabelecimento de convênio com faculdades de Medicina, visando à contratação de estagiários. Também estão previstos dois novos técnicos de enfermagem e novos ACSs. Enquanto não há recursos para a contratação de novos médicos, serão definidas escalas para os profissionais nas duas unidades, cuja organização deverá ser avaliada e debatida com servidores e usuários. Cláudio da Drogaria Duarte reforçou a necessidade de acompanhar e fiscalizar todos os processos que envolvem a transferência do centro de saúde, garantindo que os moradores não percam um espaço que foi conquistado com muita luta.

Para que a Secretaria Municipal de Saúde explique em detalhes a nova configuração das duas unidades do equipamento e os fluxos previstos para o atendimento, esclarecendo todas as dúvidas, Fernando Luiz encaminhou a realização de uma nova reunião, no próximo dia 21 de novembro, com a participação de vereadores, usuários e a comissão local de saúde. Para facilitar o comparecimento dos moradores, o encontro foi agendado para as 19h, na Escola Estadual Álvaro Sales, no Bairro Trevo. Atendendo a solicitação do líder comunitário, os gabinetes dos vereadores irão contribuir na divulgação e emitirão convites formais a todos os envolvidos.

Superintendência de Comunicação Institucional