AUDIÊNCIA PÚBLICA

Entidades, movimentos e partidos se unem num plano popular contra a crise

O plano foi elaborado pela Frente Brasil Popular, que reúne grupos do campo autodenominado democrático, popular e progressista

sexta-feira, 1 Setembro, 2017 - 20:00
Foto: Mídia Ninja/Frente Brasil Popular

O Plano Popular de Emergência proposto pela Frente Brasil Popular será debatido em audiência pública da Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura, Desporto, Lazer e Turismo, no Plenário Amynthas de Barros, na próxima terça-feira (5/9), às 19h. O plano traz 10 eixos programáticos para o Brasil sair da crise em que se encontra. Entre elas, a ampliação dos investimentos em educação, conforme propõe o Plano Nacional de Educação (PNE), a realização de eleições diretas em 2017 e a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte para realizar reformas estruturais democráticas em nosso sistema político.

No que tange à educação, o plano propõe o cumprimento das metas do PNE, aumentando os investimentos no setor para 7% do PIB até 2019 e 10% até 2024, com efetiva destinação de 75% dos royalties do petróleo e 50% do Fundo Social do Pré-Sal para a área. A Frente Brasil Popular também propõe a revogação da reforma do ensino médio e da alteração das normas curriculares propostas pelo governo Temer.

Para a cultura, a frente defende o fomento de grupos culturais através da retomada e da reestruturação de programas elaborados e implantados pelos governos federais petistas, como o Cultura Viva e os Pontos de Cultura.

A Frente Brasil Popular é composta por forças sociais que se apresentam como democráticas, populares, progressistas e contrárias ao impedimento da presidenta Dilma Rousseff, processo que a frente entende ter sido um golpe de estado. Um dos objetivos é influenciar as campanhas das candidaturas localizadas neste campo ideológico-programático, tanto para cargos majoritários quanto legislativos.

Requerida pelo vereador Gilson Reis (PCdoB), a audiência pública onde o Plano Popular de Emergência será debatido deverá contar com a presença de representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT-MG), da Secretaria de Políticas Institucionais do Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores na Indústria Energética de Minas Gerais (Sindieletro-MG), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), do Levante Popular da Juventude, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB-Minas), da Central de Movimentos Populares (CMP), da Casa Fora do Eixo, do Partido dos Trabalhadores (PT) e do Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

Superintendência de Comunicação Institucional

Tema: