VISITA TÉCNICA

Comissão de Direitos Humanos vai fiscalizar acessibilidade na Arena MRV

Vistoria será nesta quarta (11/5), às 9h30. Obras do estádio do Clube Atlético Mineiro devem ser concluídas neste ano

terça-feira, 10 Maio, 2022 - 14:00
Foto: Pedro Souza/Atlético

A Arena MRV, estádio do Clube Atlético Mineiro localizado no Bairro Califórnia (Região Noroeste de BH), tem suas obras previstas para serem concluídas ainda neste ano e impressiona pelos números. Segundo a Racional Engenharia, responsável pela construção, o local terá capacidade para até 46 mil pessoas em dias de jogos e 60 mil em shows e ocupa um terreno de 130 mil m². Para fiscalizar essa estrutura no cumprimento do direito à acessibilidade de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, a Comissão de Direitos Humanos, Igualdade Racial e Defesa do Consumidor fará uma visita técnica ao local nesta quarta-feira (11/5), às 9h30, a pedido de Irlan Melo (Patri). O ponto de encontro será na Rua Cristina Maria de Assis, 202, Bairro Califórnia. Durante a vistoria, deve ser apresentado o projeto de acessibilidade do estádio.

No dia 20 de abril de 2020 tiveram início as obras de construção da Arena MRV, após muito debate entre o clube proprietário, a PBH e a Câmara Municipal. Em novembro de 2021, a diretoria do Atlético divulgou informação dando conta de que o estádio será inaugurado no dia 25 de março de 2023, quando o clube completará 115 anos. Em sua conclusão, a arena multiuso terá 185 mil m² de área construída, 26 mil m² de área verde, 34 mil m² de esplanada, nove andares, 2.400 vagas de estacionamento, 68 camarotes e 42 bares. São esperados para a visita desta quarta-feira, representantes da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania; da Subsecretaria de Direito e Cidadania; da Coordenadoria de Atendimento Regional Noroeste; do Clube Atlético Mineiro; do Conselho de Administração da MRV Engenharia; e da Associação União das Pessoas com Deficiência (AUPD).

Vereadores acompanham construção

Os parlamentares de BH acompanham de perto a construção do estádio do Atlético e as alterações que ela pode causar no dia a dia da cidade. Considerada de grande impacto ambiental e social, a obra da Arena MRV foi alvo de pedido de informação da Comissão de Meio Ambiente, Defesa dos Animais e Política Urbana. A solicitação, enviada à Prefeitura e à Secretaria Municipal de Política Urbana em outubro de 2021, tratava das contrapartidas exigidas pelo Município para a construção do futuro estádio. No requerimento, o colegiado quis saber quais os critérios utilizados para chegar ao valor das contrapartidas exigidas para a construção da Arena; obras e valores detalhados das contrapartidas ambientais, sociais e viárias; existência e valores de outras compensações além das mencionadas e em que elas foram baseadas; se todas as contrapartidas exigidas estão relacionadas diretamente à obra; e quais os parâmetros legais para as cobranças.

A resposta chegou em 7 de março deste ano, por meio de ofícios da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) e da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTtans). Foram citadas, pela secretaria, a implantação de unidade básica de Saúde e creche, criação de associação civil sem fins lucrativos para promoção de saúde, lazer, educação e bem estar social, além de uso da esplanada externa do estádio pelo público em geral para atividades ao ar livre; criação de parques na Mata dos Morcegos e à margem do Córrego Carneiros; canalização de trecho do Córrego Tejuco; preservação permanente das nascentes e matas adjacentes e plantios de mudas em locais diversos. Já em relação às contrapartidas viárias, a BHTrans informou que elas se baseiam em estudos contratados pelo empreendedor para solução dos problemas de acesso à arena e aos bairros próximos.

Superintendência de Comunicação Institucional