AUDIÊNCIA E VISITA

Comissão de Saúde discute construção de UPAs e Cersams e fiscaliza posto

Centro de Saúde Minas Caixa será vistoriado. Vereadores querem cronograma de obras nas unidades

terça-feira, 22 Março, 2022 - 13:45
Foto: Rodrigo Clemente/ Divulgação PBH

Para fiscalizar o andamento das obras que incluem reformas, construções, adequações e ampliações de unidades de saúde, conforme anunciado pela Prefeitura, a Comissão de Saúde e Saneamento realiza audiência pública nesta quarta-feira (23/3), às 13h30, no Plenário Helvécio Arantes. No requerimento da reunião, Dr. Célio Frois (Cidadania) menciona as Unidades de Pronto Atendimento (Upas) Nordeste, Noroeste, Pampulha e os Centros de Referência em Saúde Mental (Cersams) Oeste e Venda Nova, e diz que vai cobrar um cronograma das intervenções. Na mesma data, às 10h, a comissão vai ao Centro de Saúde Minas Caixa (Rua Capitão Sérgio Pires, 226, no bairro de mesmo nome), Região de Venda Nova. O objetivo da visita técnica, como explica o vereador Cláudio do Mundo Novo (PSD), é acompanhar o funcionamento do posto, verificar o quadro de funcionários e ouvir os usuários.

“A Upa Nordeste, por exemplo, possui estrutura física limitada e as goteiras existentes no local expõem muitas vezes os pacientes, que com frequência acabam se molhando ao chegar à unidade pelo Samu”, contou Dr. Célio Frois sobre a situação das unidades. Segundo o vereador, as obras, a serem realizadas por meio de parceria público-privada (PPP), já têm recursos garantidos pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e os imóveis já foram adquiridos. Na audiência, ele vai cobrar da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) a elaboração de um projeto estrutural e a apresentação de um cronograma de obras. 

Foram convidados para o encontro o superintendente de Desenvolvimento da Capital, Henrique de Castilho Marques de Souza; o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto; e a presidente do Conselho Municipal de Saúde, Carla Anunciatta.

Centro de Saúde Minas Caixa

Segundo a comunidade que utiliza os serviços do Centro de Saúde Minas Caixa, que atende cerca de 25 mil usuários, o posto não possui estrutura adequada para receber toda a demanda. Faltam médicos especialistas, como ginecologista, o que já vem ocorrendo há mais de quatro anos. O exame preventivo de colo do útero é realizado por uma enfermeira, segundo relatos. 

Ainda de acordo com usuários, no que se refere à disponibilização de medicamentos, muitos controlados, as pessoas não conseguem retirá-los na farmácia do centro de saúde, pois em determinados horários não há funcionários disponíveis. Foram feitas, também, reclamações sobre problemas relativos ao atendimento prestado por recepcionistas, como falta de agilidade no encaminhamento de pacientes aos especialistas.

Outro problema apontado foi a falta de higiene e limpeza dos banheiros, onde faltam papel, água e álcool. Informou-se, por fim, que o consultório odontológico não está devidamente equipado para os atendimentos, necessitando de reformas, desde o início da pandemia.

“Ciente da demanda elevada que o posto recebe diariamente, a visita servirá como base para que sejam encaminhadas informações à PBH e tomadas as devidas providências, para que seja oferecido atendimento adequado aos usuários”, afirmou Cláudio do Mundo Novo, que convidou para a visita a gerência do Centro de Saúde Minas Caixa e o secretário municipal de Saúde.

Superintendência de Comunicação Institucional