TRANSPORTE

Campanha poderá orientar sobre riscos do uso de celular durante travessia de ruas

Proposta recebeu apoio na Comissão de Transporte e Sistema Viário; também esteve em pauta contratação de 500 agentes de bordo

quinta-feira, 19 Dezembro, 2019 - 17:30
parlamentares compõem mesa de reunião
Foto: Márcio Martins/ CMBH

Dados divulgados pela Universidade de Washington, nos Estados Unidos, apontam que 30% dos pedestres atravessam as ruas distraídos com seus celulares. A pesquisa foi realizada na cidade de Seattle (EUA), com mais de 1,1 mil pessoas, entre 25 e 44 anos, e tem servido como referência para o levantamento do debate também na capital mineira. Em atenção à segurança da população que circula pelas ruas da cidade, a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário emitiu parecer favorável ao Projeto de Lei 877/19, de Coronel Piccinini (PSB), que propõe a criação de uma campanha municipal de conscientização para evitar o uso de aparelhos celulares durante a travessia de ruas e avenidas. O tema foi debatido na tarde desta quinta-feira (19/12), em reunião ordinária da Comissão, quando foi registrado também o recebimento de novos dados da BHTrans sobre a contratação dos 500 agentes de bordo assegurados pelo prefeito Alexandre Kalil.

Tramitando ainda em 1º turno, o PL 877/19 determina que o poder público desenvolva ações de conscientização na perspectiva de orientar os pedestres a não usar seus smartphones ou aparelhos similares ao cruzar as ruas, a fim de se evitar acidentes no trânsito. A campanha deve informar o número de acidentes e óbitos em consequência desse tipo de prática, assim como difundir os conceitos de iniciativas e políticas de mobilidade urbana, cidadania, acessibilidade e convívio gentil e solidário no trânsito.

O autor da proposta, Coronel Piccinini, argumenta a importância da medida, lembrando o estudo realizado pela Universidade de Washington (EUA), publicado periódico Injury Prevention, do grupo British Medical Journal (BMJ). O parlamentar alerta que os pesquisadores identificaram que “falar ao telefone e trocar mensagens, entre outras atividades, faz com que um indivíduo se arrisque ao ignorar os semáforos, atravessar em lugar errado ou não olhar para os dois lados da via”.

Ele aponta que os autores afirmam que “mandar mensagem de texto é a atividade mais arriscada de se fazer na hora de atravessar a rua. Pessoas que faziam isso (obervadas durante a pesquisa) foram as que demoraram mais tempo (18% a mais do que a média) para fazer a travessia e foram até quatro vezes mais propensas a ignorar os semáforos, atravessar em lugar errado ou deixar de olhar para os dois lados da via”.

O projeto seguirá para análise nas Comissões de Administração Pública e de Saúde e Saneamento antes de ser votado pelo Plenário.

Agentes de bordo

Em novo ofício recebido pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário, no último dia 17 de dezembro, a BHTrans atualizou a relação de agentes de bordo contratados pelas empresas concessionárias que operam o Serviço de Transporte Público Coletivo e Convencional de Passageiros por Ônibus de Belo Horizonte. O material encaminhado apresenta a lista dos novos cobradores, indicando seu nome, data de admissão e número da carteira de trabalho, bem como cópias das carteiras de trabalho. Por solicitação dos vereadores, a lista inicial havia sido enviada à Comissão no início de outubro. Para preservar o sigilo dos dados dos trabalhadores, os documentos só poderão ser consultados na Diretoria do Processo Legislativo da Câmara, sem a possibilidade de reprodução.

Assista ao vídeo da reunião na íntegra.

Superintendência de Comunicação Institucional