SUS EM BH

Comissão constata falta de espaço físico no Centro de Saúde São Jorge

Construção de uma nova unidade é apontada como caminho para garantir a qualificação das condições de trabalho e atendimento

sexta-feira, 21 Setembro, 2018 - 15:00
Vereador Hélio da Farmácia, gerência do Centro de Saúde São Jorge, coordenação da Administração Regional Oeste e usuários, em visita técnica ao local
Bernardo Dias / CMBH

Estrutura física insuficiente para atender o número elevado de usuários. Esse foi o cenário encontrado pela Comissão de Saúde e Saneamento, nesta sexta-feira (21/9), em visita técnica ao Centro de Saúde São Jorge, no Bairro Grajaú, Região Oeste da capital. Com área de abrangência de 45 mil habitantes e cerca de 600 atendimentos por dia, o posto demanda a construção de mais uma unidade na região. Como medida emergencial, foi apontada a necessidade de instalação de um novo toldo na área de entrada, já que o atual encontra-se rasgado, expondo às intempéries quem aguarda por atendimento. A Comissão, que realizou a atividade por requerimento do vereador Hélio da Farmácia (PHS), encaminhará levantamento dos problemas encontrados à Secretaria Municipal de Saúde, para que sejam tomadas providências.

Segundo a gerente do Centro de Saúde São Jorge, Joana D’Arc Andrade de Araújo, a superlotação do posto potencializa situações de insalubridade, favorecendo a propagação de doenças transmissíveis. Ela informou que já existe, em local próximo, um lote destinado à construção do novo centro de saúde e que a demanda é urgente, pois o posto realiza o maior número de atendimentos da Regional Oeste, incluindo vacinação. A farmácia da unidade, além disso, é a que dispensa maior número de medicamentos em Belo Horizonte. Ainda durante a vista, a gestora apontou a falta de funcionários administrativos e de auxiliares de enfermagem.

Insumos e segurança

Além do toldo rasgado na entrada do centro de saúde, que deixa usuários desprotegidos da chuva, verificou-se ainda a demanda por reposição de insumos básicos, como luvas em tamanhos variados, fio dental e medicação intracanal para atendimento odontológico.

Quanto à segurança, a gerência do posto relatou que a ronda da Guarda Municipal seria insuficiente e que a falta do porteiro estaria prejudicando, inclusive, o direcionamento das pessoas, já que estes, quando presentes, ajudavam a direcionar o fluxo dos usuários. Foram apontados, ainda, problemas como baixa luminosidade e ventilação precária.

Encaminhamentos

Conforme reforçou o coordenador da Administração Regional Oeste, Sylvio Malta, é de fundamental importância a construção de mais um centro de saúde para atender à população, salientando que já existe um projeto pronto, bem como local apropriado para a construção da nova unidade. Segundo ele, em contato com a Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura, verificou-se que o que precisa ser definido é o processo para a construção do novo posto: por meio de parceria público-privada (PPP) ou com recursos da própria prefeitura. Malta informou que encaminhará a demanda à Secretaria de Obras e que as solicitações relativas à estrutura administrativa e a insumos devem ser encaminhadas à Secretaria Municipal de Saúde.

Ao término da visita, o vereador Hélio da Farmácia apontou a necessidade de correção das deficiências identificadas na estrutura física, como o toldo rasgado e paredes com mofo, lembrando a importância de se atentar para a falta de alguns insumos básicos. Para ele, no entanto, a principal demanda é a construção de outro centro de saúde, transformando o atual espaço em anexo. “Encaminharemos os problemas apontados à Secretaria Municipal de Saúde, para cobrar agilidade na construção do novo posto”, completou o parlamentar.

Superintendência de Comunicação Institucional

Em atendimento às restrições previstas na legislação eleitoral, os conteúdos noticiosos publicados neste portal e nas redes sociais da Câmara de BH deixarão de mencionar nomes de vereadores que disputarão cargos na próxima eleição. As limitações ocorrerão no período de 7 de julho a 7 de outubro de 2018.