BAIRRO CÉU AZUL

Com impostos em dia, moradores do Céu Azul sofrem com rua não pavimentada

Comunidade local afirma que paga IPTU, mas Rua Geraldo Orozimbo ainda é de terra. PBH alega que não há previsão de recursos para a obra

quinta-feira, 20 Julho, 2017 - 14:15
 Rua Geraldo Orozimbo
Foto: Rafa Aguiar / CMBH

Moradores da Rua Geraldo Orozimbo, no Bairro Céu Azul, pagam IPTU à prefeitura, mas não tem acesso à pavimentação. Diferentemente da maioria das vias da capital, ela é de terra, o que dificulta a vida de todos os que moram e transitam no local, principalmente, das pessoas com dificuldade de locomoção. Para cobrar uma solução do Executivo para o problema, a Comissão de Meio Ambiente e Política Urbana realizou visita técnica à área nesta quinta-feira (20/7). A PBH alegou que, atualmente, não há previsão de recursos para a obra. O vereador Cláudio da Drogaria Duarte (PMN), requerente da visita, informou que irá reunir-se com o secretário de Obras, assim que um relatório da PBH sobre as intervenções necessárias ficar pronto.

Antes de requerer a visita técnica à Rua Geraldo Orozimbo, Cláudio da Drogaria Duarte, em atenção à demanda dos moradores e cumprindo sua função de fiscal das ações do Executivo, solicitou à PBH que pavimentasse a referida via. A resposta da prefeitura, no entanto, foi a de que não seria possível promover obras no local, dado que a área estaria em situação irregular e faria parte de uma ocupação. Diante da resposta, o parlamentar convidou representantes do Executivo a comparecerem ao local para constatarem que a rua tem CEP e que parte de seus moradores paga IPTU e taxa de iluminação pública. “Antes de o assentamento ser criado na região, já havia a Rua Geraldo Orozimbo”, explica Claudio em referência à antecedência da via em relação à ocupação que existe nas imediações.

Célio Fonseca, que é morador da rua há cinco anos, conta que o poder público já implantou sistema de distribuição de água, coleta de esgoto, iluminação pública e limpeza urbana, mas a pavimentação continua sendo uma antiga demanda da comunidade local não atendida pelo Estado. “Conheço pessoas que têm imóveis nessa rua e pagam IPTU há mais ou menos 20 anos, e, mesmo assim, a prefeitura se nega a pavimentar”, contou.

Adivaldo Rodrigues mora no local há sete anos e, a cada dois dias, tem que tirar o barro de frente de sua casa com uma enxada para possibilitar a saída e a entrada do carro de sua garagem. “A água que escorre pela rua empoça em frente à minha garagem. Se não vier com a enxada, não tem como passar com o carro”, disse.

A prefeitura explicou que, antes de a pavimentação ter início, faz-se necessário a elaboração de um projeto de macrodrenagem para a Rua Orozimbo. Ainda segundo o Executivo, esta seria uma obra de grande porte para a qual não há recursos previstos, nem prazo estabelecido para o desenvolvimento do projeto. Claudio da Drogaria Duarte explicou que continuará tomando parte em um esforço conjunto pela pavimentação da via. Ele conta que, a partir de agora, diferentes órgãos da prefeitura irão encaminhar relatórios para o secretário municipal de Obras Públicas com o objetivo de municiar a pasta com as informações necessárias ao desenvolvimento de um possível projeto de pavimentação para o local. 

Superintendência de Comunicação Institucional

[flickr-photoset:id= 72157686515206815,size=s]