AUDIÊNCIA PÚBLICA

Comissão vai discutir fechamento de leitos pediátricos em BH

Encerramento do atendimento pediátrico do Hospital São Lucas e dos leitos de oncologia pediátrica pela Santa Casa causam preocupação

sexta-feira, 12 Agosto, 2022 - 18:00
Criança em leito hospitalar acompanhada de mulher e atendida por profissional de saúde.
Foto Claudio Lacerda

O fechamento dos leitos pediátricos do Hospital São Lucas e dos leitos oncológicos de pediatria da Santa Casa de Misericórdia serão tema de audiência pública da Comissão de Saúde e Saneamento nesta quarta-feira (17/8), às 13h, no Plenário Helvécio Arantes. Solicitado por Dr. Célio Frois (PSC), o encontro é aberto à participação de qualquer cidadão interessado, que também pode acompanhá-lo ao vivo pelo Portal CMBH. Perguntas, comentários e sugestões podem ser enviados até o final da reunião por meio deste formulário.

“Nós temos uma redução muito grande de leitos de pediatria em Belo Horizonte e o fechamento desses leitos trará indubitavelmente um prejuízo muito grande ao atendimento às crianças de Belo Horizonte e de Minas Gerais”, firmou Dr. Célio Frois acerca do encerramento dos atendimentos nos dois hospitais.

Os convidados são representantes da Secretaria Municipal de Saúde; o provedor da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte, Roberto Otto Augusto de Lima, e o coordenador da 19ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde de Belo Horizonte, Promotor Nélio Costa Dutra Júnior.  Também foram convidados os seguintes profissionais do Hospital São Lucas: o diretor clínico Carlos Henrique Diniz de Miranda; o coordenador pediátrico Sidney Delailson da Silva; o médico pediatra do Pronto Atendimento Yuri da Silva Figueiredo; além das seguintes mães de pacientes oncológicos da Pediatria do Hospital: Alcione Matos Rodrigues do Amaral e Jacqueline Aparecida Evangelista Medrado de Souza.

Hospital São Lucas

Em nota emitida no dia 20 de julho deste ano, o Grupo Santa Casa BH (GSCBH), do qual o Hospital São Lucas (HSL) é integrante, esclareceu que o hospital passa por um processo de reestruturação interna para restabelecer seu equilíbrio econômico-financeiro. Nesse contexto, o HSL deve encerrar seu serviço de pediatria em um prazo de 90 dias a partir daquela data. O Grupo afirmou que a decisão foi tomada “com a finalidade de garantir a sustentabilidade do referido hospital”. O GSCBH ressaltou que o Hospital São Lucas não realiza atendimentos ao Sistema Único de Saúde e que um cronograma de encerramento dos atendimentos seria comunicado aos usuários, com a preocupação de que não haja qualquer tipo de desassistência.

A nota repercutiu na imprensa mineira, que contabilizou que o setor de pediatria do Hospital contava com 34 leitos para o atendimento infantil em Belo Horizonte, dos quais 29 se destinavam à internação e cinco à terapia intensiva. Na época, a instituição atendia, mensalmente, cerca de 2.400 crianças na urgência, com cerca de 500 cirurgias ao ano. O encerramento pode sobrecarregar o atendimento público de Belo Horizonte, que apresenta dificuldades em completar as vagas de pediatria nos centros de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

PBH

A Prefeitura de Belo Horizonte divulgou, no dia 5 de agosto, que o Município concentrou o atendimento pediátrico, de sexta (05/08) a domingo (07/08), em unidades de urgência – Pronto Atendimento do Hospital Odilon Behrens (HOB) e UPAs Norte e Oeste – e nos centros de saúde São Paulo, Rio Branco, Aarão Reis e Carlos Renato Dias.

Em resposta à pedido de informação da Comissão de Saúde e Saneamento a respeito de questionamentos sobre atendimento pediátrico, a Secretaria Municipal de Saúde informou que, de janeiro a junho deste ano, 22 pediatras tiveram seus contratos temporários encerrados e há quatro em processo de aposentadoria e um em processo de exoneração. A PBH também informou que, por meio de concurso público homologado em abril deste ano, foram preenchidas 33 vagas de pediatria, mas afirma que ainda há déficit para atendimento da demanda, existindo 113 solicitações de contratações para coberturas em postos de trabalho nas unidades de saúde municipais. Ainda segundo o Poder Executivo,  dos 152 centros de saúde existentes no município, 59 não contam com médico pediatra em seu quadro de pessoal.

Superintendência de Comunicação Institucional