SAÚDE

UPA Norte precisa de melhorias para atender à crescente demanda

Em visita técnica, parlamentar detectou a necessidade de reparos urgentes na unidade até que nova sede fique pronta

terça-feira, 6 Novembro, 2018 - 16:00
Foto: Flávia Carvalho

Infraestrutura insuficiente para atender à demanda crescente da população pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Região Norte, localizada na Rua Oscar Lobo Pereira, n° 270, no Bairro Primeiro de Maio. Esta foi a situação encontrada durante a visita técnica realizada, nesta terça-feira (6/11), pela Comissão de Saneamento e Saúde da Câmara de BH. Apesar do profissionalismo e dedicação dos funcionários, verificado pelo vereador Catatau do Povo (PHS), que requereu a vistoria, e confirmado por usuários, as condições do prédio que abriga esse estratégico equipamento de saúde de Belo Horizonte não garantem o conforto e o atendimento adequado à população. 

Por dia passam pela UPA Norte quase 400 pessoas, o que significa uma média de 10 mil atendimentos por mês. Por estar localizada próxima da Avenida Cristiano Machado, a unidade de saúde recebe pacientes de Santa Luzia, Sabará, Ribeirão das Neves e Vespasiano, além da população de alta vulnerabilidade do entorno. De acordo com a gerente da UPA, Daniela Aparecida Rocha, a procura pela unidade quase dobrou nos últimos quatro anos, mas a estrutura do prédio continua a mesma. “Atualmente, estamos fazendo pequenas melhorias, como pintura e troca de azulejos, para melhorar o aspecto e a higiene do espaço”.

O prédio, que abriga a UPA Norte desde 1994, possui consultórios pequenos e improvisados, poucos leitos, ambientes mal iluminados e com pouca ventilação e estrutura mal dividida, o que prejudica a estadia e mobilidade da equipe e dos pacientes. Segundo Catatau, por meio da visita pretende-se reivindicar do poder Executivo o bem-estar não só dos usuários, mas dos funcionários, garantindo as melhorias necessárias. 

Para resolver os problemas, o Executivo propôs a construção de uma nova sede na Via 240, no Bairro Aarão Reis. Iniciada em 2009, as obras estão paralisadas, faltando apenas 20% para a sua conclusão. A gerência da unidade não soube dar uma previsão de quando a Unidade ficará pronta.

Atendimento e insumos

Segundo o médico Alcy Moreira, representante da Gerência de Urgência e Emergência da UPA, o atendimento por classificação de risco (nas cores verde, amarela e vermelha) utilizado pelas UPAs contribuiu para dar mais eficiência à gestão. Junto com isso, o Programa Fast Track (ou “via rápida”), já implantado nas UPAs Noroeste e Leste, e que será levado para todas as demais unidades, pretende diminuir a espera dos pacientes menos urgentes (classificados com a cor verde) de 4h para 1h30min. “Hoje fui muito bem atendida na Ortopedia. Sempre sou bem atendida aqui. Se o pessoal não faz mais, é porque a estrutura não ajuda”, afirma a usuária Flávia.

Atualmente, a Unidade de Saúde possui 398 funcionários, dentre médicos, técnicos de enfermagem e profissionais terceirizados que cuidam da limpeza. As especialidades atendidas são: pediatria, clínica médica, ortopedia, cirurgia e odontologia e, de acordo com a gerente Daniela Rocha, todas as equipes estão completas. Com relação aos insumos e materiais, ela informou que o almoxarifado da UPA está, atualmente, 95% completo, e que não há falta de medicamento.

Por fim, Catatau reconheceu a limpeza dos espaços e parabenizou o empenho dos profissionais em realizar o trabalho da melhor forma possível, apesar da infraestrutura deficitária. “Vamos voltar aqui com o secretário Municipal de Saúde, Dr. Jackson Machado, e se possível, com um representante da Sudecap para sensibilizá-los, para ver o que pode ser melhorado no prédio e para que seja dado um posicionamento sobre o andamento das obras da nova UPA”, garante.

Superintendência de Comunicação Institucional