QUEBRA DE DECORO

Comissão processante ouve vereadores arrolados por Wellington Magalhães

Parlamentares alegaram desconhecer fatos que desabonem a conduta do acusado enquanto vereador e ex-presidente da Casa

quarta-feira, 4 Julho, 2018 - 15:15
Foto: Bernardo Dias / CMBH

A fase de oitivas da Comissão Processante, responsável pela apuração da denúncia de quebra de decoro por parte do vereador afastado Wellington Magalhães (PSDC), teve sequência na reunião desta quarta-feira (4/7). Arrolados pela defesa do acusado, os vereadores Pedro Lula Patrus (PT), Autair Gomes (PSC) e Juliano Lopes (PTC) alegaram que desconhecem qualquer fato que desabone a conduta do acusado enquanto vereador e ex-presidente da Câmara, e que os processos licitatórios para publicidade não foram criados na gestão de Magalhães. Também aguardada para as oitivas desta quarta, a delegada Karla Silveira Marques Hermont não compareceu e não enviou justificativa ao colegiado.

Entre os pontos questionados pela advogada de defesa de Wellington Magalhães, Amanda Torquato, está a atuação do denunciado perante a Câmara Municipal de Belo Horizonte. Primeiro a ser ouvido pela comissão, Pedro Lula Patrus explicou que conhece o vereador afastado desde 2013, ano que tomou posse em seu primeiro mandato, que a relação entre os dois sempre foi exclusivamente de trabalho e que o contato que mantinha com ele transcorria da mesma forma que com os outros 40 parlamentares.

Com relação à época em que Magalhães ocupou o cargo de presidente da Casa, Patrus afirmou que o convívio entre eles era respeitoso, “mesmo tendo algumas divergências ideológicas por pensamentos politicamente diferentes”, e mencionou importantes  projetos de leis apresentados pela Mesa Diretora, como o fim do recesso parlamentar no mês de julho e a alteração do abono de faltas dos parlamentares. Pedro Lula Patrus esclareceu ainda que desconhece qualquer fato que desabone a conduta de Magalhães enquanto vereador ou como presidente da Câmara de BH.

Pedidos de transferência

Segundo vereador a depor, Autair Gomes alegou que Wellington Magalhães sempre foi um vereador muito atuante e articulado, presente nas discussões da cidade e nas reuniões da Casa. “Na minha concepção, todos os avanços que a cidade viveu nestes últimos anos tiveram a participação dos vereadores, entre eles Wellington Magalhães”, admitiu. O parlamentar também afirmou não ter conhecimento de qualquer condenação judicial contra o acusado.

Ao ser interrogado por Amanda Torquato a respeito do depoimento dado pela ex-chefe da Polícia Civil de Minas Gerais, Andrea Vacchiano, na reunião do dia 19 de junho, a respeito dos pedidos feitos por políticos para a transferência de policiais na corporação, Gomes declarou que não tem conhecimento de tais pedidos, os quais também em nenhum momento foram feitos por ele.

Processo licitatório

Também arrolado pela defesa, Juliano Lopes disse que não tem conhecimento sobre a existência de algum esquema comprovado de desvio de recursos de processos licitatórios no Legislativo, à época da gestão do acusado. “Eu tive a oportunidade de acompanhar várias divulgações e anúncios da Câmara pelos mais diversos meios de comunicação da cidade, como jornais impressos, rádio e TV, no entanto não sei dizer o valor que foi gasto com os contratos”, concluiu Lopes, ao explicar que o processo licitatório para publicidade não foi criado na gestão de Magalhães, sendo uma prática na Casa.

Também aguardada para depor nesta quarta, a delegada da Polícia Civil de Minas Gerais, Karla Silveira Marques Hermont, não compareceu nem enviou justificativa.

Próximas oitivas

No dia 10 de julho, os depoimentos do deputado federal Odair Cunha (PT), do vereador Irlan Melo (PR) e do delegado Fernando Lima, que dirige o inquérito contra Magalhães, foram agendados para as 9h, 9h30 e 11h, respectivamente, no Plenário Helvécio Arantes.

Para o dia 11 de julho, são esperados os vereadores Gilson Lula Reis (PCdoB) e Jair Di Gregório (PP), no Plenário JK, às 9h e 9h30. Já o vereador Preto (DEM) e o deputado estadual Durval Ângelo (PT) serão ouvidos às 10h30 e 11h, respectivamente.

O depoimento de Wellington Magalhães está previsto para o dia 24 de julho, às 9h, no Plenário Helvécio Arantes.

Participaram da reunião os vereadores Dr. Nilton (Pros) e Reinaldo Gomes (MDB).

Assista ao vídeo da reunião na íntegra.

Superintendência de Comunicação Institucional

7ª Reunião - Comissão Processante - Oitivas