JANEIRO BRANCO

Música e atividades lúdicas alertam para prevenção ao estresse e à depressão

Câmara de BH oferece ampla programação em apoio à campanha Janeiro Branco, em favor da saúde mental

segunda-feira, 15 Janeiro, 2018 - 15:45
Foto: Rafa Aguiar/CMBH

Aos moldes da campanha Outubro Rosa, consolidada em todo o mundo promovendo ações de conscientização para prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama, começa a se fortalecer, em todo o país, a campanha Janeiro Branco, em atenção à saúde mental. Ainda envolto por diferentes estigmas e preconceitos, o tema segue sendo um tabu na sociedade brasileira, o que muitas vezes inibe o acesso a medidas de prevenção e tratamento das doenças. Buscando sensibilizar e mobilizar as pessoas para os cuidados com a saúde mental, a Câmara Municipal programou uma série de atividades de apoio à campanha, que se estendem de hoje (15/1) até o próximo dia 31 de janeiro, envolvendo palestra, biodança, Tai Chi Chuan e aulas de Yoga. Confira a programação completa do evento e inscreva-se, gratuitamente para as atividades.

Dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que, até 2020, 322 milhões de pessoas, em todo o mundo, estarão acometidas por transtornos mentais, como a depressão, a ansiedade ou o estresse. Preocupado com dados alarmantes como esses, um grupo de psicólogos voluntários, apoiado por diversos outros profissionais e estudantes da área da saúde, tem se mobilizado na capital mineira para realização de ações de conscientização e sensibilização das pessoas sobre o tema. O grupo esteve presente na abertura da campanha realizada na Câmara de BH, oferecendo abraços gratuitos e um interativo “varal de emoções”.

“A nossa intenção é desenvolver uma cultura de falar sobre as nossas emoções, de cuidar dos nossos sentimentos. É importante que, dentro das nossas rotinas corridas, possamos tirar um tempo para nos cuidar”, alertou a psicóloga Kênia Nepomuceno, voluntária na campanha Janeiro Branco. Nepomuceno destacou que as doenças mentais podem decorrer de fatores fisiológicos, mas podem também se desenvolver por fatores ambientais, tais como relacionamentos abusivos, rotinas sobrecarregadas, pressões nas relações de trabalho, falta de diálogo com a família ou mesmo insuficiência dos momentos de lazer com qualidade.

Foto: Rafa Aguiar / CMBHVaral de emoções

Uma linha suspensa no corrimão da rampa de acesso ao Núcleo de Cidadania da Câmara de BH exibe dezenas de depoimentos íntimos e anônimos recolhidos de transeuntes. Chamada carinhosamente de “varal de emoções”, a instalação reflete a carência de diálogo e afetividade sofrida por muitas pessoas, que pode levar ao desenvolvimento de sérios transtornos emocionais. Estimuladas a entrar em contato com os seus sentimentos, muitas pessoas registraram ali seus medos, angústias e inseguranças. Frases como “sinto que minha família não me ama. E isso me causa ansiedade” ou “às vezes duvido que eu seja capaz”, revelam emoções pouco compartilhadas e que, de acordo com a psicóloga, devem ser trabalhadas para restaurar o equilíbrio emocional e evitar graves doenças.

Pequenos prazeres

Entre os principais gestos de afeto na cultura ocidental, o abraço pode ser um bom instrumento para o enfrentamento de transtornos mentais. Oferecendo uma forte sensação de conforto e de proteção, o abraço ativa diretamente as regiões temporais e frontais do cérebro, que são as áreas ligadas ao prazer. De acordo com os profissionais da saúde, durante o abraço, o cérebro ativa a liberação de hormônios como a serotonina, responsável por essa sensação.

Foto: Rafa Aguiar / CMBHNessa perspectiva, durante toda a manhã, servidores e visitantes da Câmara foram recebidos no Núcleo de Cidadania com um forte abraço. Um grupo de voluntários se espalhou na rampa de acesso oferecendo o gesto de carinho que, além de estreitar as relações entre as pessoas, pode ser um importante aliado no combate ao estresse e às doenças cardíacas.

Coordenador do Núcleo de Cidadania da Câmara, Mauro Felipe destacou a importância de ações como essas para estimular os cuidados com a saúde e o bem-estar, destacando o papel do Núcleo como mediador no acesso da população a informações essenciais. “Precisamos de mais atividades assim. É importante lembrar as pessoas de cuidar de si mesmas e das suas emoções”, alertou o gestor, ponderando a necessidade de criar momentos de reflexão e lazer em meio à rotina.

Música para a alma

Quem procurou os serviços do Núcleo de Cidadania nesta manhã também pôde contemplar o doce som produzido pela flauta tocada pelo artista Tiago Oliveira, para quem "a música é capaz de expandir a consciência das pessoas, sensibilizá-las, provocar reflexões positivas e ainda transformar a energia do ambiente”. O multi instrumentista voluntário quer inpirar outros artistas a compartilharem seus dons em espaços públicos, contribuindo para o bem-estar comum, a paz interior e a construção de relações mais harmoniosas.  

Regulamentação

Diante da mobilização dos diversos profissionais ligados à saúde mental, a campanha Janeiro Branco poderá passar a integrar o calendário oficial da capital mineira. Tramitando na Casa já em 2º turno, o Projeto de Lei 288/17, de autoria do presidente da Câmara, vereador Henrique Braga (PSDB), institui no município o evento “Janeiro Branco”, dedicado à realização de campanha e ações educativas para a promoção e difusão da saúde mental.

De acordo com o parlamentar, a escolha do mês de janeiro busca aproveitar esse período do ano, em que as pessoas mudam de hábitos e repensam suas atitudes, para incentivar ações inovadoras e desmistificar a ideia de que a busca por profissionais de saúde mental estaria ligada apenas ao tratamento de doenças.

Superintendência de Comunicação Institucional

Acesse o álbum do evento no Flickr