ESTACIONAMENTO ROTATIVO

Comissão propõe ampliação do período de permanência em via na Floresta

Estacionamentos rotativos estariam criando transtorno a moradores, que se queixam da diminuição das vagas

quinta-feira, 5 Outubro, 2017 - 16:30
Vereador, moradores e técnicos da BHTrans em visita técnica na Rua Francisco Sales, na Floresta
Rafa Aguiar / CMBH

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário realizou, nesta quinta-feira (5/10), visita técnica à Feira dos Produtores, na Cidade Nova, e a um trecho entre Avenida Francisco Sales e Rua Sapucaí, na Floresta. Nas imediações da Feira dos Produtores, foram apontados problemas de engarrafamento, sugerindo-se a mudança de mão da Rua Conceição Macedo Novais à BHTrans, que estudará a proposta. No Bairro Floresta, os moradores ressaltaram que a área é residencial e que após a implantação do estacionamento rotativo o número de vagas para moradores, professores e alunos de uma universidade localizada nas proximidades foi reduzido. Após a visita, a Comissão informou que solicitará à BHTrans a transferência do estacionamento rotativo da Francisco Sales para outro local ou a ampliação do período de permanência para cinco horas.

Estacionamento rotativo

Implantado em abril deste ano, em vias localizadas nas imediações da Feira dos Produtores, o estacionamento rotativo era uma antiga reivindicação de moradores e comerciantes locais.  “O rotativo foi implementado na região comercial, em cinco quarteirões, e a comunidade em geral está gostando. Além disso, em ruas próximas, há vagas para estacionar os veículos”, informou Silvana Barcelos, representante da BHTrans.

Para fiscalizar o uso adequado do estacionamento rotativo , o vereador Jair Di Gregório (PP), que requereu a visita, sugeriu que seja solicitada à Guarda Municipal e à Polícia Militar a intensificação da fiscalização.

Congestionamentos

Segundo Tânia Amaral Marra, moradora da Cidade Nova, após a mudança da Rua Coronel Pedro Paulo para mão única, em 2010, os motoristas têm que trafegar pela Rua Júlio Pereira da Silva, causando congestionamento e veículos estacionados de um lado e de outro da via. Em outro trecho, visando reduzir o risco de acidentes, ela solicitou, ainda, que seja feito um calçamento elevado na faixa de pedestres.

Outra moradora do bairro, Gleice Lúcia Franco, relatou, por sua vez, que há mais de trinta anos, a Rua Coronel Pedro Paulo era mão dupla e a feira não tinha estacionamento próprio. Depois, a via passou a ser mão única e a feira passou a ter estacionamento. “Quando o estacionamento está lotado, os carros começam a parar na rua, formando fila e causando engarrafamentos”, informou. Para melhorar o fluxo de veículos, ela sugeriu à BHTrans a mudança de mão da Rua Conceição Macedo Novais.

Na visita, o analista de Transporte da BHTrans, Temístocles Presotti , justificou que a feira é um polo com grande atrativo de veículos e que a Rua Coronel Pedro Paulo passou a ser mão única, pois a mão dupla causava congestionamento em cruzamentos. Quanto à sugestão da moradora referente ao trecho da Rua Conceição Macedo Novais, dividida por um canteiro, que em um dos lados tem o sentido de direção da Rua Coronel Pedro Paulo para a Rua Júlio Pereira, ele disse que a BHTrans estudará a proposta.

Falta de vagas

Após a visita à Feira dos Produtores, a Comissão foi ao Bairro Floresta, onde vistoriou trecho entre Avenida Francisco Sales e Rua Sapucaí, para ver de perto os impactos da implantação do estacionamento rotativo.

Luzinete de Oliveira, moradora da região, reclamou que seu prédio não possui vagas suficientes de garagem para todos os condôminos, que têm que deixar os veículos na rua. Ela destacou, ainda, que além do local ser uma área residencial, é também uma área escolar, afirmando que a maioria dos motoristas não utilizam talões de rotativo.

Os moradores reclamaram, ainda da inexistência de placas de carga e descarga na via; que a implantação do estacionamento rotativo prejudicou o uso de vagas para idosos; e que reduziu o número de vagas para professores e alunos de uma universidade e de uma escola, localizadas nas imediações.

Encaminhamentos

Após a visita, o vereador Jair Di Gregório informou que a Comissão solicitará aos técnicos da BHTrans um estudo, para que seja retirado o estacionamento rotativo da via e transferido para outro local. Outra alternativa proposta, a ser encaminhada à BHTrans é a ampliação do tempo do estacionamento rotativo nesse quarteirão, de duas para cinco horas. Segundo o gerente de Estacionamento e Logística Urbana da BHTrans, Sérgio Rocha, a alteração é tecnicamente viável, beneficiando moradores e estudantes. Quanto à implantação do estacionamento rotativo em locais próximos, sugerida pelos moradores, Gregório disse que é preciso aguardar uma avaliação da prefeitura e da BHTrans.

Anteriormente à visita, no dia 14/9, o assunto foi debatido em audiência pública na Câmara, quando foi abordada a implantação de estacionamento rotativo em áreas residenciais pela BHTrans, nos Bairros Cidade Nova, Nova Granada e Floresta.

Superintendência de Comunicação Institucional

Flickr photos from the album by

6 out of 6 on Flickr