AUDIÊNCIA PÚBLICA

Em debate, implementação de faixa preferencial para motocicletas

Representantes da Prefeitura e das diversas categorias de motociclistas irão debater viabilidade de medida em vigor em São Paulo

segunda-feira, 27 Junho, 2022 - 17:15
Duas motos e três carros trafegam em viaduto, durante o dia. Uma das motos está entre dois carros.
Foto Divulgação PBH

Uma possível solução para a convivência nem sempre harmônica de motocicletas e carros no trânsito, já testada em São Paulo (SP), será tema de debate na Câmara. A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário vai realizar nesta quinta-feira (30/6) audiência pública para debater a implantação de vias preferenciais para motos em Belo Horizonte às 13h30, no Plenário Camil Caram. O debate foi solicitada por Braulio Lara (Novo), e será transmitido ao vivo pelo Portal CMBH. A população interessada pode participar enviando perguntas e/ou sugestões por meio de formulário já disponível.
 
Lara disse que um projeto piloto de vias preferenciais  para motociclistas foi implantado em São Paulo (SP), conhecido como "Faixa Azul" para motos. Uma vez que o sistema já está sendo avaliado na capital paulista, a audiência pública tem a finalidade de dialogar com pessoas que atuam na área de transportes com motos em seus diversos segmentos para verificar a viabilidade ou não de se implantar vias preferenciais em alguns corredores de Belo Horizonte. O vereador disse que a medida pode trazer muitos benefícios para os motociclistas que comumente são a parte mais frágil no trânsito, sendo acidentes com motocicletas bastante perigosos. “A faixa preferencial para motos pode organizar melhor uma situação no trânsito que já acontece principalmente quando os grandes engarrafamentos ocorrem. Por outro lado, as autoridades de trânsito vão poder contribuir muito nessa discussão, trazendo outros pontos de vista. Temos que avaliar se a medida realmente produz segurança ou não”, afirmou. E concluiu que é preciso que motos e carros tenham uma convivência mais harmônica dentro do trânsito, numa perspectiva de trânsito mais seguro. 
 
Foram sugeridos os seguintes convidados: o secretário municipal de Governo e autoridade de trânsito do Município de Belo Horizonte, Josué Costa Valadão, a presidente do Conselho Diretor do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Marilena Lazzarini,  a gerente do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Sandra Alice Pinto Coelho Marques, o presidente da  Associação dos Motofretistas de Aplicativos e Autônomos do Brasil (AMABR), Edgar. Também foram convidados representantes da Associação dos Motofretistas de Belo Horizonte e Região, do Sindicato dos Mototaxistas, Motofretistas e Ciclistas Autônomos do Estado de Minas Gerais, da Associação dos Motoqueiros e Bikeiros de Belo Horizonte (AMO BH) e dos motociclistas. 
 
Faixa Azul
 
A imprensa noticiou que, em janeiro desse ano, a cidade de São Paulo implementou o projeto “Faixa Azul” na principal via entre as regiões Norte e Sul da cidade, com início no centro e indo até a Zona Sul, no Parque Ibirapuera. Com cerca de 6km de extensão, a faixa foi instalada como projeto piloto, com duração de dois anos e a expectativa de diminuição do número de mortes envolvendo motociclistas. O corredor se situa mais à esquerda da via, local em que as motos trafegam usualmente, em um espaço demarcado de azul de 90 cm. O tráfego de motos no local não é exclusivo nem obrigatório, e tem o mesmo limite de velocidade da avenida em que se situa, que é de 60 km/h.
 
A gestão municipal da capital paulista informou que o projeto é uma tentativa de redução de acidentes na via em que foi implementada. São Paulo contabilizou mais de 7 milhões de veículos e o falecimento de quase 400 motociclistas em 2021, um aumento de 16% na comparação com 2020. Além das mortes, a cidade teve quase 7 mil acidentes graves ou com sequelas envolvendo motos no ano passado. 

Superintendência de Comunicação Institucional