ANEL RODOVIÁRIO

Vereadores visitam sede da Via 040 e percorrem trechos mais críticos da rodovia

Radares inoperantes e falta de previsão de obras para o Anel preocuparam os parlamentares da comissão especial

terça-feira, 20 Junho, 2017 - 17:45
reunião entre vereadores e concessionária via 040
Foto: Rafa Aguiar / CMBH

A Comissão Especial de Estudo - Anel Rodoviário realizou, na manhã desta terça-feira (20/6), visita técnica à sede da concessionária Via 040 e, logo após, percorreu os trechos mais críticos de acidentes da via, especialmente o do Bairro Betânia. De acordo com o requerente e relator da comissão, vereador Irlan Melo (PR), a constatação de radares inoperantes e falta de previsão de obras para o Anel gera preocupação. Audiência pública será realizada para buscar soluções emergenciais, sobretudo nos trechos mais perigosos da via.

Palco de graves e constantes acidentes, o Anel Rodoviário Célio Mello Azevedo está sob a gestão da concessionária Via-040, que administra cerca de 10 quilômetros da via, que conta com um fluxo diário de 160 mil veículos e concentra quase 45% dos acidentes de trânsito registrados na cidade. A situação é mais grave em trecho situado entre os Bairros Olhos D’água e Betânia, onde acidente ocorrido no último mês de abril envolveu 20 automóveis e deixou seis pessoas feridas, duas delas em estado grave.

De acordo com o gerente de Relações Institucionais da Via 040, Frederico Souza, de todos os 900 quilômetros que estão sob a gestão da concessionária, nenhuma obra de reforma no trecho que compreende o Anel Rodoviário foi prevista no edital. Entretanto, “intervenções como recuperação do pavimento, restauração de barreiras central e de estruturas de drenagem, além de revitalização da sinalização – placas, pinturas, instalação de olhos de gato, dentre outras, são constantemente realizadas, como medidas preventivas de acidentes, favorecendo a segurança da via”, afirmou Souza. 

Ainda segundo a concessionária, o Anel Rodoviário possui hoje dez radares inoperantes. Os dispositivos foram instalados de acordo com o previsto no contrato de concessão, mas o processo para liberação dos equipamentos não foi concluído, e ainda não existe previsão para que comecem a funcionar.

Enfrentamentos

Com a falta de previsão de obras, o vereador Juliano Lopes (PTC) sugeriu aos representantes da concessionária a possibilidade de realização de permuta entre as intervenções em outros trechos de toda a extensão da concessão da Via 040 para o Anel Rodoviário, “algo que já poderia ter sido previsto no edital, e que infelizmente não foi”, disse Lopes. Para Frederico Souza, a sugestão poderia ser viável, desde que não houvesse o prejuízo de nenhum outro trecho, e que fosse autorizada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

O vereador Preto (DEM) inquiriu aos representantes da concessionária “de que forma o Legislativo poderia contribuir para implantar políticas de melhoria do trânsito, da sinalização e da prevenção de acidentes do local”. Souza alertou que um grande entrave enfrentado hoje pelos agentes públicos é a de que a revitalização do Anel Rodoviário, com a ampliação dos trechos em que há um estreitamento brutal da pista e construção de vias marginais em toda sua extensão, está travada por disputas judiciais que envolvem desocupações às margens da rodovia.

Áreas de escape

Outra ideia sugerida pelos parlamentares foi a implantação de “áreas de escape”, um recurso que seria utilizado para que os veículos de grande porte pudessem usar como refúgio, caso o sistema de frenagem pare de funcionar. Além de ajudar a reduzir acidentes, o uso do recurso poderia permitir que os tipos e modelos de caminhões que mais apresentam problemas fossem identificados e as informações fossem repassadas para a Polícia Rodoviária Federal.

Encaminhamentos

Após a visita técnica, o presidente da comissão, vereador Wesley Auto Escola (PHS), informou que uma audiência pública será agendada para debater, juntamente com a sociedade e o poder público, medidas emergenciais, sobretudo nos trechos mais perigosos da via. “O local onde mais morrem pessoas em acidentes de trânsito, em Belo Horizonte, é no Anel Rodoviário; precisamos pensar em soluções”, disse Wesley.

Apesar de apresentar vários tipos de entraves que impossibilitam a aplicação de medidas para os problemas enfrentados pela via, para o vereador Juninho Los Hermanos (PSDB), “o principal objetivo da comissão especial de estudos é atuar na busca de soluções para proteger as vidas que são perdidas constantemente no Anel Rodoviário”.

Superintendência de Comunicação Institucional

[flickr-photoset:id=72157683247549480,size=s]