Nomes originais de ruas de BH

Navegue nos mapas abaixo para conhecer os nomes originais de várias ruas e locais da cidade, agrupados por temas.

Locais com nomes alusivos a datas comemorativas

Datas Comemorativas

Clique no mapa para mais detalhes

 

O nome indicado na planta original, e ainda persistente hoje, homenageia a data de promulgação da Lei Adicional nº 3/1893, que escolheu o Belo Horizonte para nele se construir a nova capital mineira. A avenida teve seu trajeto alterado: originalmente, o perímetro da avenida compreenderia também a área contida (1) pela projeção da própria avenida 17 de Dezembro - após ela cruzar com a rua Ouro Preto - até o encontro com a projeção da rua General Dionísio Cerqueira, (2) por esta última projeção em linha reta até chegar ao ponto de cruzamento da rua Rio de Janeiro com a mesma avenida 17 de Dezembro e (3) pelo trajeto atual desta avenida no trecho entre as ruas Rio de Janeiro e Ouro Preto, tudo na região do atual bairro de Lourdes e circunvizinhança imediata. Trecho em vermelho não foi executado como previa o projeto, portanto não compõe o atual trajeto da rua.
Atual praça Barão do Rio Branco(alteração de nome feita pela Lei estadual nº 3.452, de 14 de fevereiro de 1912). O nome original homenageava a data de assinatura do Decreto nº 680/1894, que criou a comissão construtora da nova capital mineira; o nome atual homenageia o diplomata brasileiro. A praça teve seu perímetro projetado reduzido: hoje, ela abrange a área formada pela avenida 17 de Dezembro, conhecida como do Contorno, e pelas ruas Paulo de Frontin e Saturnino de Brito; originariamente, ela abrangeria a área formada pela avenida 17 de Dezembro, conhecida como do Contorno, e pelas ruas Caetés e Curitiba
Atual praça 7 de Setembro (desconhece-se a norma que promoveu essa alteração). O nome original homenageava a data da descoberta oficial da América; o nome atual homenageia a data da declaração oficial da independência brasileira. O perímetro atual da praça corresponde exatamente ao que foi para ela projetado.
Não existe praça com esse nome na zona urbana, e nem há praça com perímetro correspondente ao projetado (que seria localizada no cruzamento da avenida Amazonas com as ruas Goitacazes e Santa Catarina). O nome original homenageava a data de promulgação da Constituição Federal de 1891, a primeira do período republicano.
Atual praça Raul Soares (alteração de nome feita pela Lei nº 281, de 3 de outubro de 1924). O nome original homenageava a data de promulgação da Lei Adicional nº 1/1891, que indicava as localidades a serem estudadas para, em uma delas, se instalar a nova capital mineira; o nome atual homenageia o político mineiro e presidente de Minas Gerais. O perímetro atual da praça corresponde exatamente ao que foi para ela projetado.
Não existe praça com esse nome na zona urbana, e nem há praça com perímetro correspondente ao projetado (que seria localizada no cruzamento da avenida Amazonas com as ruas Guajajaras e Rio Grande do Sul). O nome original homenageava a data de instalação da Assembleia Constituinte de 1823.
Não existe praça com esse nome na zona urbana, e nem há praça com perímetro correspondente ao projetado (que abrangeria a área formada pelas projetadas ruas Mucuri, Tabajaras, Tapuias e Urucuia, no ângulo ideado para o parque municipal no cruzamento das avenidas Araguaia [atual Francisco Sales] e Tocantins [atual Assis Chateaubriand]). O nome original homenageava a data de promulgação da Constituição Estadual de 1891, a primeira de Minas Gerais.
Atual praça Hugo Werneck (alteração de nome feita pelo Decreto nº 3, de 27 de abril de 1935). O nome original homenageava a data de proclamação oficial da República; o nome atual homenageia o médico mineiro e presidente do Conselho Deliberativo de Belo Horizonte. O perímetro atual da praça corresponde exatamente ao que foi para ela projetado.
Não existe praça com esse nome na zona urbana, e nem há praça com perímetro correspondente ao projetado (que seria localizada no cruzamento das avenidas Araguaia [atual Francisco Sales] e Brasil com as ruas dos Otonis e Piauí). O nome original homenageava a data de posse de Afonso Pena na presidência de Minas Gerais, em 1892, e também a data da queda da Bastilha, evento-símbolo da Revolução Francesa de 1789. Em 1943, o Decreto-lei nº 140, de 7 de maio, alterou a denominação da praça ainda existente para 13 de Maio, data comemorativa da abolição da escravatura.
Atual praça Tiradentes (alteração de nome feita pela Lei estadual nº 952, de 9 de junho de 1962). O nome original homenageava a data de enforcamento do inconfidente Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, no ano de 1792; o nome atual homenageia o próprio enforcado. O perímetro atual da praça corresponde exatamente ao que foi para ela projetado.
Atual praça Coronel Benjamin Guimarães (alteração de nome feita pela Lei nº 44, de 21 de agosto de 1948; antes da Lei nº 44/1948, o nome da praça havia sido alterado para 12 de Outubro, desconhecendo-se a norma que promoveu essa alteração). O nome original homenageava a data da declaração oficial da independência brasileira; o nome atual homenageia o industrial e banqueiro mineiro, instituidor da entidade mantenedora do Hospital da Baleia. O perímetro atual da praça corresponde exatamente ao que foi para ela projetado.
Atual praça Diogo de Vasconcelos, conhecida como da Savassi (alteração de nome feita pelo Decreto-lei nº 140, de 7 de maio de 1943). O nome original homenageava a data de assinatura da Lei nº 3.353/1888, conhecida como Lei Áurea, extinguindo a escravidão no Brasil; o nome atual homenageia o político e historiador mineiro. O perímetro atual da praça corresponde exatamente ao que foi para ela projetado.