Plenário

Vereadores exaltaram o crescimento do carnaval de BH

Em reunião curta, vereadores exaltam crescimento do carnaval de BH e seu caráter popular

sexta-feira, 9 Fevereiro, 2018 - 19:15
7ª reunião ordinária do Plenário, em 9 de fevereiro de 2018
Foto: Abraão Bruck/Câmara de BH

Aberta com a presença de 36 vereadores, a reunião plenária desta sexta-feira (9/2) contou com alguns pronunciamentos referentes ao Carnaval 2018 na cidade, marcado pelos desfiles de centenas de blocos de rua, cujo número de participantes e foliões de dentro e fora de BH vem aumentando exponencialmente nos últimos anos. A apreciação do único projeto de lei em pauta, que depende do voto favorável da maioria dos presentes para sua aprovação, e de uma Moção direcionada à Procuradoria Geral da República, foi adiada para a próxima quinta-feira, devido ao recesso de carnaval.

Logo após anunciado, pelo presidente da Mesa, o início da etapa de pronunciamentos sobre assuntos urgentes ou relevantes, Arnaldo Godoy (PT) usou o microfone para destacar o crescimento das manifestações populares e da ocupação de praças e espaços públicos da cidade observado nos últimos anos, apesar da ausência de incentivo de gestões anteriores. O parlamentar elogiou a efervescência dos movimentos como a Praia da Estação, que promovem a liberdade e a democracia na capital mineira, e em especial o Carnaval de BH, hoje reconhecido por oferecer diversidade e diversão aos cerca de quatro milhões de participantes previstos, muitos dos quais turistas

Aspectos políticos

A vereadora Áurea Carolina (Psol), por sua vez, além de elogiar o caráter inclusivo e popular do Carnaval de BH, ressaltou sua condição de  “ato de resistência”, no qual se sobressaem questões relevantes na sociedade como o combate ao racismo, à homofobia e ao assédio sexual. Para encerrar sua fala, ela recomendou aos foliões que evitem qualquer tipo de discriminação, violência e abordagens indevidas a mulheres, homossexuais e transexuais, lembrando a todos de que “não é não”.

Em seu pronunciamento, Gilson Reis (PCdoB) enalteceu o evento com “a maior festa popular do Brasil”, dominando a vida das cidades e a pauta das mídias nos quatro cantos do país. O parlamentar, que anunciou a participação em pelo menos 15 blocos em diferentes bairros durante o período, destacou a reconstrução e o fortalecimento espontâneos do Carnaval de Belo Horizonte, promovidos pela própria população mesmo sem o encorajamento e o apoio por parte da administração Municipal anterior, além dos frutos econômicos e sociais gerados pela festa.

Circuito cultural e classificação indicativa

Único projeto de lei em pauta, teve a apreciação adiada para a próxima quinta-feira (15/2) o PL 1929/16, apresentado na legislatura anterior (2013-2016) pelo Professor Wendel Mesquita (PSB). A matéria, que será votada em 2º turno, propõe a institui no município o evento “Circuito Cultural Orla da Pampulha”, prevendo a realização, por 24 horas ininterruptas, de atividades e eventos culturais marcados pela pluralidade de expressões e gêneros artísticos em toda a extensão da orla da Lagoa.

Também voltará à pauta após o recesso de carnaval a Moção 22/17, assinada por Fernando Borja (Avante) e outros 16 parlamentares, a ser encaminhada à Procuradoria Geral da República em Minas Gerais. A proposição manifesta o apoio da Câmara de BH à recomendação exarada pelo procurador ao Ministério da Justiça, visando à execução de procedimentos relativos à classificação indicativa de exibições e apresentações ao vivo, abertas ao público.

Superintendência de Comunicação Institucional