Sala de Imprensa

Exposição homenageia centenário de Chico Xavier

07/04/2010
{mosimage}Seguramente, Chico Xavier ainda está vivo entre nós. Seu centenário de nascimento prova que as comemorações da vida são maiores que a morte. A presença de Chico Xavier é inevitável: está nas mentes, nos livros, no cinema e na Galeria Guimarães Rosa da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH).

A exposição Cândido Chico, do artista plástico Adriano Alves, apresenta, em seus traços vívidos e com cores fortes, a permanência do grande mestre espírita, nascido em Pedro Leopoldo, Minas Gerais, em 2 de abril de 1910.

Nos grandes e pequenos quadros expostos na Galeria Guimarães Rosa, chamativos pelas cores fortes, mas também atraentes pela delicadeza, Adriano Alves — paulistano radicado em Belo Horizonte, artista plástico e gráfico, ilustrador e diagramador — parece querer falar de coisas eternas, até porque para o próprio Chico Xavier toda vida é recomeço: “É natural que seja assim, todavia, quando tudo parece convergir para o que supomos o nada, eis que a vida ressurge triunfante e bela!...” imortalizou o grande médium.

Francisco Cândido Xavier faleceu em 30 de junho de 2002, em Uberaba, Minas Gerais, aos 92 anos de idade.

A visita à exposição, parceria da União Espírita Mineira e a Câmara Municipal de Belo Horizonte, é gratuita e pode ser feita durante o horário normal de funcionamento da CMBH, de 7h às 19h.

Informações na Superintendência de Comunicação Institucional (3555-1105/1445).

PLs sugerem medidas de prevenção da doença

07/04/2010

{mosimage}Diante dos dados alarmantes que revelam o aumento de casos da doença nos primeiros meses do ano na capital, dois projetos de lei foram apresentados à Câmara Municipal de Belo Horizonte, propondo mais rigor no combate à dengue.  

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), até março foram confirmados mais de 5,1 mil casos da doença na cidade. A região com maior concentração de registros é a de Venda Nova, seguida pelas regiões Norte e Noroeste. A Prefeitura informa que está reforçando o combate à doença. Além dos mutirões de limpeza e de ações de orientação, está prevista a contratação temporária de 300 novos agentes, que vão começar a atuar em abril nas áreas consideradas de maior risco.

Além das iniciativas governamentais, é fundamental que a população colabore para interromper o ciclo de transmissão e contaminação. Pensando nisso, o PL 981/10, do vereador Edinho Ribeiro ‘Edinho do Açougue’ (PTdoB), cria obrigações para os munícipes e ainda prevê punições.

O projeto institui o Programa de Combate e Prevenção da Dengue, a ser coordenado pela Secretaria Municipal de Saúde, e determina que os proprietários de imóveis, habitados ou não, e os responsáveis por estabelecimentos públicos, comerciais, de ensino ou industriais ficam obrigados a manter os terrenos e as edificações limpas, sem acúmulo de lixo ou materiais inservíveis.

Quem descumprir as normas poderá ser intimado a corrigir o motivo da infração, no prazo de cinco dias. Os infratores ainda estão sujeitos a multa e à cassação do Alvará de Funcionamento.

“A ação mais simples para se prevenir a dengue é evitar o nascimento do mosquito, já que não existem vacinas ou medicamentos que combatem a contaminação. Para isso, é preciso eliminar os lugares que os mosquitos escolhem para a reprodução”, apontou o autor da proposta.

O líder de governo na Câmara, vereador Paulo Lamac (PT), também apresentou recentemente proposta para reduzir a endemia de dengue no Município. O PL 1037/10, de sua autoria, proíbe a comercialização de pratos para vasos de plantas, com exceção daqueles que possuam protetor contra insetos.

Segundo o parlamentar, evitando o armazenamento de água nos pratos de vasos de plantas dificulta-se o acesso do mosquito a esses recipientes e, desse modo, o depósito dos ovos e o desenvolvimento das larvas em ambientes domésticos.

O texto ainda determina que as floras, floriculturas e demais estabelecimentos que comercializem plantas ficam obrigados a afixar placa com os seguintes dizeres: “Plantas devem promover a vida e a alegria. Contribua! Nunca permita que acumulem água parada”.

Informações na Superintendência de Comunicação Institucional (3555-1105/1445).

Cuidados com a pele e os alimentos são temas de PLs

07/04/2010
{mosimage}Durante a segunda metade do mês de março, quatro novos projetos de lei, com temas relacionados à área de saúde, começaram a tramitar na Câmara Municipal de Belo Horizonte. As propostas vão passar pela avaliação das comissões temáticas da Casa, antes de seguirem para apreciação do Plenário em 1º turno.

De autoria do vereador Elias Murad (PSDB), o PL 1010/10 obriga os clubes e centros esportivos a exibirem avisos sobre os perigos da exposição indevida da pele humana ao sol. Os avisos deverão ser fixados em painéis de visualização e identificação clara, junto a piscinas e quadras esportivas.

Nos painéis devem constar informações científicas sobre os malefícios da radiação solar e a indicação do melhor horário para a exposição ao sol. Quem descumprir as novas normas estará sujeito a advertência, notificação e multa de um salário mínimo.

O vereador explica que a exposição exacerbada e indevida aos raios solares, e suas consequências danosas, caracterizam problemas de saúde pública, “motivo pelo qual entendo que o poder público tem o dever de intervir nessa relação entre população e sua exposição ao sol”.

Proliferação de microorganismos

A preservação dos alimentos é tema do projeto nº 1047/10, de Adriano Ventura (PT). A matéria estabelece que o acondicionamento de alimento em bares, lanchonetes e restaurantes deverá ser feito em recipiente higienizado que impeça a proliferação de microorganismos nocivos à saúde.

De acordo com o texto, a maionese, a mostarda e o ketchup, servidos à parte e diretamente ao consumidor, devem estar acondicionados em embalagens descartáveis e de uso individual. O estabelecimento que cometer irregularidades pode receber advertência, multa no valor de 300 reais, interdição e cassação do Alvará de Localização e Funcionamento.

O objetivo da proposta, segundo Adriano Ventura, é proporcionar condições adequadas de acondicionamento e apresentação dos alimentos e evitar sua contaminação.

Outra iniciativa, do vereador Fred Costa (PHS), também foi apresentada à CMBH em março e dispõe sobre a constituição de equipes multidisciplinares e multiprofissionais em programas de assistência à saúde no Município. O PL 1046/10 inclui o terapeuta ocupacional nesses programas.   

Informações na Superintendência de Comunicação Institucional (3555-1105/1445).

Audiência discute soluções contra a doença em BH

06/04/2010
Audiência discute soluções contra a doença em BH Discutir a prestação de serviços para coibir a dengue e debater aspectos legais do índice alarmante da doença em Belo Horizonte, principalmente nas regionais Venda Nova e Norte, foi o objetivo da audiência pública realizada pela Comissão de Saúde e Saneamento, no dia 7 de abril, por iniciativa do vereador Iran Barbosa (PMDB).
 
A reunião, no Plenário Helvécio Arantes, foi presidida inicialmente pelo vereador Fred Costa (PHS), que em seguida transferiu a presidência ao vereador Iran Barbosa (PMDB), que apresentou uma série de sugestões para aprimorar o combate à dengue na capital mineira.
O parlamentar revelou que um dos problemas que agravam a proliferação da doença diz respeito à limpeza urbana: “os famosos bota-foras que ocorrem, por exemplo, nos bairros Serra Verde, Mantiqueira e Jaqueline". 

Segundo Harley Carvalho, secretário de Administração Regional Municipal Norte, “a PBH não tem condições de tirar o entulho da cidade inteira da forma como ele é armazenado”. Ele aponta que o maior problema é a conscientização das pessoas.

Larvicida
O vereador Iran Barbosa falou de um larvicida que teve 92% de eficácia no combate à larva da dengue. “Em Cuba, conseguiram resolver o problema da dengue em patamares superiores aos exigidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS)”. Barbosa revela que o Hospital Fiocruz está tentando desenvolver um genérico do larvicida. Também citou armadilhas para o mosquito feitas com garrafas pet.

Barbosa não acredita que exista hoje uma metodologia de trabalho eficaz para os agentes de saúde da Prefeitura. Ele também sugeriu que os profissionais sejam equipados com aparelhos para filmar e fotografar suas visitas nas residências, a fim de garantir a veracidade dos registros. Os agentes poderiam, segundo o vereador, ser recompensados com adicional de produtividade. Sugeriu também que os moradores que se mobilizassem para reduzir os focos da doença fossem recompensados pela PBH com descontos no IPTU.

A presidente do Conselho Distrital de Saúde Venda Nova, Maria Teresa de Oliveira, exaltou o trabalho dos agentes de saúde e falou da dificuldade que os mesmos encontram para entrar em certas residências por causa da resistência dos moradores.

Nilton César Rodrigues, gerente do Distrito Sanitário Venda Nova, revelou que 90% da população conhece o ciclo de vida do aedes aegipty e sabe como evitar os focos do mosquito. Mas acrescentou que "55% desse total declarou que não toma atitudes para prevenir os focos porque seus vizinhos também não o fazem".

A diretora da Escola Estadual São Pedro São Paulo, Rosane Aparecida Bélico Guimarães, salientou que a conscientização deve ser feita através das escolas. “Precisamos fazer projetos para conscientizar a comunidade através das crianças”, destacou.

Intensificação no combate

Segundo o secretário municipal de Saúde, Marcelo Gouvêa Teixeira, a PBH elaborou um plano de intensificação do combate à dengue. “Boa parte do projeto foi incorporada pelo Ministério da Saúde como referência para municípios de todo o país”, afirmou. O secretário ressaltou que a dengue é um desafio da cidade e reforçou que a população, de uma modo geral, já está bem informada sobre a dengue, mas que falta atitude nessa direção.

Teixeira revelou que a dengue é provocada por quatro tipos diferentes de vírus, e que o tipo 4 ainda não teve registro oficial no território brasileiro. Ainda de acordo com o secretário, só em Minas Gerais houve um aumento de 150% nos casos da doença. Os fatores que mais influenciam a proliferação dos focos são: questão ambiental, regime climático e hábitos culturais de manejo de resíduos.

O secretário de Administração Regional Venda Nova, João Batista Viana, falou da importância da redução do índice de infestação, que subiu de 5,7, em janeiro de 2009, para 3,1, em março de 2010.

Os representantes da comunidade cobraram atitudes mais eficazes, a curto prazo, da PBH. Em resposta, o secretário Marcelo Gouvêa disse que a Prefeitura não está satisfeita com os resultados já alcançados no combate à dengue. Citou projeto do Executivo Municipal que prevê que cada agente de saúde tenha um dispositivo móvel com GPS para registrar suas visitas, o que vai ao encontro da sugestão do vereador Iran Barbosa. O projeto aguarda financiamento do Ministério da Saúde.

Também estiveram presentes à reunião os vereadores Ronaldo Gontijo (PPS), João Oscar (PRP), corregedor da Casa, João da Locadora (PT) e a gerente do Distrito Sanitário Norte, Vanessa Maria Lopes Wilke.

Informações na Superintendência de Comunicação Institucional (3555-1105/1445).

Vereadores realizam audiência sobre ensino noturno

06/04/2010
Vereadores realizam audiência sobre ensino noturno O secretário-geral da Câmara Municipal de Belo Horizonte, vereador Anselmo José Domingos (PTC), ao abrir a audiência pública sobre o ensino noturno nas escolas municipais, disse que, apesar da greve dos professores da Prefeitura ser um tema atual, a reunião não deveria fugir do seu tema original. “Queremos conversar sobre a política do ensino noturno, como a pessoa é incentivada a ir à aula, quais são as dificuldades, o que há de errado, por que as escolas começam o ano letivo com 300 alunos nas turmas e terminam com 100. Vamos discutir sobre isso”, declarou o parlamentar.

Apesar do assunto da paralisação ter sido constantemente tocado ao longo de toda a reunião, os trabalhos seguiram normalmente e o tema do ensino noturno foi amplamente debatido.

Primeiramente, o representante do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte (SIND-REDE), professor Luiz Henrique Robert, tomou a palavra e afirmou que é dever do Município garantir educação a todos. Ele explicou que as escolas cumpriram suas obrigações pedagógicas para garantir as turmas noturnas, mas que a Secretaria Municipal de Educação delimitou o número das classes. Outra reclamação é a de que os professores do programa de Educação para Jovens e Adultos (EJA) não podem fazer uma pós-graduação, pois não são liberados para esse tipo de atividade. “Não há diálogo com a Secretaria, os professores não são consultados por absolutamente nada!”, declarou Luiz Henrique. O educador completou que há, ainda, uma fiscalização constrangedora nas escolas para saber se há ou não alunos nas turmas, o que, segundo ele, é “extremamente desconfortável para o exercício profissional”.
Queixas da categoria

O representante do Projeto de Educação de Trabalhadores (PET), Charles Cunha Moreira, informou que, em Belo Horizonte, há 80 mil analfabetos e a demanda de turmas não atende a essa população. Ele pediu que os professores sejam tratados “decentemente, com dignidade e inteligência”. “Os professores, quando não há turmas, são deslocados como móveis, sem que seja avaliada a disponibilidade deles. Não há dignidade”, protestou Charles.

Após as declarações, os professores presentes puderam expor seus pontos de vista. Muitos reclamaram da falta de respeito para com a classe, que recebe baixos salários, e também do fechamento de turmas, da desvalorização das classes noturnas, do descaso com os alunos desse turno e da qualidade do ensino, já que há professores de Matemática, por exemplo, ministrando aulas de Português. Mas a principal reclamação dos professores presentes na audiência é de que não há diálogo entre a Secretaria e a categoria.

A representante da Secretaria Municipal de Educação, Gioconda Machado Campos, esclareceu várias questões levantadas na reunião. Ela afirmou que a Secretaria tem a política de oferecer vários projetos para o público noturno, e que eles são ofertados de acordo com a necessidade do grupo. Ela garantiu que o ensino a noite não vai acabar e que o EJA vem recebendo muitos investimentos, atendendo, atualmente, a 21 mil alunos.

Ao final da reunião, os vereadores Fred Costa (PHS) e Neusinha Santos (PT) expuseram seu total apoio aos professores e repudiaram a falta de diálogo entre a Secretaria e a classe, bem como a ausência da secretária de Educação, Macaé Evaristo, na reunião.

Estiveram presentes na audiência público os parlamentares Ronaldo Gontijo (PPS), presidente da Comissão; Arnaldo Godoy (PT); Anselmo José Domingos; Fred Costa; e Neusinha Santos.

Informações na Superintendência de Comunicação Institucional (3555-1105/1445).

Procurador e promotora visitam CMBH

06/04/2010
Procurador e promotora visitam CMBH Em visita de cortesia, o procurador de justiça Fernando Antônio Fagundes Reis, da Procuradoria de Direitos Difusos e Coletivos, e a promotora Maria Elmira Evangelina do Amaral Dick, da Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência e Idosos, participaram da reunião plenária do dia 7 de abril de 2010, no Plenário Amynthas de Barros da Câmara Municipal de Belo Horizonte.

A vereadora Elaine Matozinhos (PTB) afirmou que a visita é importante por estreitar os laços entre o Ministério Público e a Câmara Municipal, possibilitando uma comunicação “mais eficaz” entre as duas instituições.

A visita também suscitou debates sobre a situação da acessibilidade para pessoas com deficiência na cidade de Belo Horizonte. De acordo com o vereador Leonardo Mattos (PV), ainda são necessárias mais leis para garantir os direitos das pessoas com deficiência.

Informações na Superintendência de Comunicação Institucional (3555-1105/1445).

União Espírita Mineira recebe homenagem

06/04/2010
União Espírita Mineira recebe homenagem Uma homenagem especial à União Espírita Mineira pelo centenário de nascimento de Francisco Cândido Xavier foi realizada na Câmara Municipal de Belo Horizonte, por iniciativa do vereador Ronaldo Gontijo (PPS). “É muito gratificante poder entregar essa comenda. As histórias da União Espírita Mineira e de Chico Xavier se completam e caminham juntas. Digo isso porque a deliberação para a fundação da entidade foi a 24 de junho de 1908 e no dia 2 de abril de 1910 nascia Chico Xavier, ou seja, apenas um ano e 10 meses de diferença”, destacou o parlamentar, que presidiu a reunião especial, realizada no dia 6 de abril, no Plenário Amynthas de Barros.

Ronaldo Gontijo destacou, durante a homenagem, a vida de Chico Xavier que, em 92 anos de existência, foi marcada por inúmeros fatos e o fez merecedor de muitos tributos. Na avaliação do vereador, Chico Xavier, há muito, ultrapassou a barreira do sectarismo religioso, tornando-se uma pessoa admirada e respeitada por todos os segmentos religiosos, tendo sido eleito “O Mineiro do Século 20”, numa promoção da TV Globo, quando concorreu ao título com grandes homens, como Tancredo Neves, Juscelino Kubitscheck, Pelé, Santos Dumont e Carlos Drummond de Andrade, entre outros.

Dedicação à caridade

“A grande verdade é que o médium que dedicou toda sua vida à caridade e à divulgação do espiritismo continua bastante presente, apesar da sua morte, em 2002, seja na forma de um imenso legado de ensinamentos da doutrina espírita ou na memória e relatos de milhares de pessoas que com ele conviveram. Se toda essa herança espírita já alcançou vida autônoma, com o centenário de vida do maior médium brasileiro, espera-se que o kardecismo e os princípios de caridade e amor ao próximo tão promulgados pela doutrina e pelo próprio Chico ganhem proporções que ultrapassem as fronteiras geográficas e religiosas”, afirmou Ronaldo Gontijo.

Durante a reunião especial, Ronaldo Gontijo lembrou o fato de que Chico Xavier recebeu várias homenagens e premiações em função de sua trajetória de caridade e divulgação do espiritismo. Recordou o fato de que Chico Xavier é o escritor brasileiro que possui a maior quantidade de livros traduzidos para outros idiomas e é um exemplo de vida, que inspirou a criação de centenas de instituições beneficentes, sem qualquer proveito pecuniário em benefício próprio.

Marta Antunes Oliveira Moura discursou em nome da Federação Espírita Brasileira, destacando o exemplo de amor de Chico Xavier e o fato de ele ser admirado e seguido por diversas pessoas, seja por sua extrema capacidade mediúnica ou pela docilidade de seu espírito e alma generosos. Destacou, ainda, a capacidade de superação do médium, inclusive da dor física, para praticar o amor. Marta salientou, também, a expectativa de que Chico Xavier jamais seja esquecido e que seus passos continuem a ser seguidos.

Psicografia

O presidente da União Espírita Mineira, Marival Veloso de Matos, agradeceu a homenagem e comentou que as palavras mais proferidas pelo médium, em seus livros, foram caridade, fé, amor e esperança. Disse que Chico Xavier escreveu diversos livros que analisam, detalhadamente, as escrituras sagradas e chamou a atenção para a dedicação dos espíritas aos estudos bíblicos. Destacou, ainda, a capacidade de Chico Xavier de psicografar – segundo ele, o médium chegava a psicografar até dois livros por dia, de aproximadamente duzentas páginas cada, cuja autenticidade era sempre reconhecida. Salientou, por fim, que a grandeza autêntica de Chico Xavier consiste na capacidade de “entender melhor Jesus do que nós”.

A homenagem contou, ainda, com apresentação musical dos cantores Bento, Marília e Juliano, que interpretaram as canções “Hino Prece” e “Hino ao Espiritismo”, e com a apresentação de um videomontagem da música “Cândido Chico”.

Várias representantes da União Espírita Mineira participaram do evento: o presidente da entidade, Marival Veloso de Matos; o 1º vice-presidente, Henrique Kemper Borges Júnior; os membros do Conselho de Administração, Mauro Soares de Freitas, Dulmar Garcia de Carvalho, desembargador Bady Raimundo Cury e desembargador Mauro Soares de Freitas; e o presidente do Conselho Fiscal, Fausto de Castro Lins. Entre outras autoridades, também prestigiaram a reunião especial Marta Antunes Oliveira Moura, da Federação Espírita Brasileira,; Itamar Morato César, representante do presidente da Aliança Espírita de Belo Horizonte, Márcio Pacheco; e Cléber Varandas de Lima, do Conselho Editorial do Jornal Espírita Mineiro.

A União Espírita Mineira

A história da União Espírita Mineira sempre contou com a participação de notáveis companheiros que honraram a sua memória. Na mesma data de sua fundação, foi criado o jornal 'O Espírita Mineiro', que teve o primeiro número publicado em 1º de agosto de 1908. Naquele encontro, considerado histórico, a primeira diretoria da União Espírita Mineira ficou assim constituída: presidente: Antônio Lima; vice-Presidente: Modestino Darnide; 1º secretário: Sidney Augusto Bicalho; 2º secretário: Aly Barbosa; procurador: Joaquim Menezes; e bibliotecário: Alexandre Pereira Neto.

Desde os anos 30, Chico Xavier foi presença constante na União Espírita Mineira – presença física, moral e espiritual, pois orientou muito a União em sua prática constante do bem e do amor ao próximo. Nela, Chico Xavier prestou vários serviços.

A história da União Espírita Mineira não poderia ser contada sem a citação de Chico Xavier, espírita atuante e dedicado associado da Federativa, sempre presente em diversas de suas atividades. São incontáveis as páginas e orientações que o próprio médium e os benfeitores que o assistiram por toda a existência deram à União Espírita Mineira, em espontânea e fecunda cooperação, para que a Doutrina Espírita alcançasse os corações com toda a luz de que se faz mensageira, mantendo fidelidade ao pensamento de Jesus e Kardec. Por tudo isso e muito mais, tornou-se Francisco Cândido Xavier o grande e permanente benfeitor da União Espírita Mineira.

Informações na Superintendência de Comunicação Institucional (3555-1105/1445).

Eventos na orla poderão ser disciplinados

06/04/2010

Eventos na orla poderão ser disciplinados Após o controverso desfile de carros alegóricos da Disney World na orla da Lagoa da Pampulha, o vereador Silvinho Rezende (PT) apresentou, na segunda-feira, dia 5 de abril, projeto de lei que pretende disciplinar a realização de eventos de grande porte na área. O projeto já está em processo de tramitação, mas ainda não tem número.

“Os organizadores deste evento [desfile da Disney] não foram respeitosos com os cidadãos de Belo Horizonte”, comentou o vereador, que esteve no local no dia da apresentação e afirma que a grande maioria das pessoas presentes não pôde assisti-lo satisfatoriamente.

O projeto apresentado pelo parlamentar proíbe o uso da orla para eventos que façam uso de veículos automotores e obriga a uma verificação criteriosa da capacidade de público.

Silvinho acredita que é preciso haver melhor distribuição do público ao longo da orla, pois, como no caso do evento da Disney, pode ocorrer concentração de público se o trecho utilizado pelo evento for pequeno.

Ainda de acordo com o projeto, os organizadores precisarão recompor integralmente a área (o que envolve, entre outras coisas, limpeza) e, também importante, a liberação para o evento só poderá ocorrer com a aprovação de diversos setores, como associação de moradores, representantes da área da cultura e Câmara Municipal de Belo Horizonte entre outros.

Durante a reunião plenária do dia 6 de abril, o tema foi discutido em Plenário e gerou divergências entre os vereadores. Entretanto, Silvinho Rezende acredita que o projeto terá boa acolhida pelos parlamentares, podendo receber emendas que melhorem a proposta.

Informações na Superintendência de Comunicação Institucional (3555-1105/1445).

Audiência discute extinção da linha de ônibus 1510

06/04/2010

{mosimage}O possível encerramento da linha de transporte coletivo urbano número 1510, que faz a ligação entre os bairros Providência e Madre Gertrudes, foi o tema dos debates da reunião extraordinária da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário, realizada no dia 30 de março.

Os vereadores Edinho Ribeiro (PTdoB) e Paulo Sérgio ‘Paulinho Motorista’ (PSL) se reuniram com representantes da BHTrans e lideranças comunitárias na Escola Estadual Celmar Botelho, bairro Providência.

Os moradores da região estão apreensivos com a hipótese de extinção da linha 1510, que atende grande número de passageiros há bastante tempo. Segundo o vice-presidente da Associação Comunitária do Bairro Providência, João Germano da Silva, “o atendimento deve ser mantido e melhorado, e não subtraído, o que sacrificaria muito a comunidade”.

Os moradores ainda reclamam que não foram consultados sobre a possibilidade de encerramento das atividades da linha e reivindicam a apresentação de um estudo que justifique essa necessidade.

O vereador Edinho Ribeiro, que solicitou a realização da audiência pública, disse que “a mobilização da comunidade é fundamental para que o planejamento de questões relacionadas ao poder público ganhe sintonia com o desejo da população”.

Paulinho Motorista destacou a importância da iniciativa do colega parlamentar, e falou que a reunião com os moradores vai ajudar a construir uma solução conjunta para o problema.   

O gerente de Coordenação de Projetos e Transportes da BHTrans, Daniel Marx Couto, explicou que está em discussão um projeto, apresentado pelo consórcio BH Leste. Segundo a proposta, a linha 1510 seria extinta, mas o itinerário seria mantido e ampliado com a criação de seis linhas alternativas, entre elas a 710.

O assessor da presidência da BHTrans, João Flávio Resende, informou que ainda não há definição quanto ao encerramento da linha 1510 e garantiu que as eventuais modificações no sistema de transporte serão “avaliadas em conjunto com a população, com representatividade e diálogo aberto”.

Informações na Superintendência de Comunicação Institucional (3555-1105/1445).

Divulgar conteúdo