SAÚDE PÚBLICA

Centro de Saúde Santa Mônica é tema de audiência pública

07/08/2014 ()

Infraestrutura e falta de profissionais são principais problemas. PBH promete construir nova unidade por meio de PPP

Moradores do Santa Mônica, na Região da Pampulha, participaram, na última quarta-feira(6/8), de uma audiência pública para discutir a situação do Centro de Saúde do bairro. Falta de funcionários, demora no atendimento e infraestrutura inadequada são as principais reclamações dos usuários. A Prefeitura reconhece os problemas e promete a construção de um novo prédio para abrigar a unidade. Segundo a PBH, a obra será realizada por meio de uma Parceria Público Privada (PPP).

Claudilene Gonçalves é uma das usuárias do Centro de Saúde Santa Mônica que sofre com a falta de profissionais. Ela precisa ser avaliada por um ginecologista, mas o atendimento que caberia a um médico especialista é realizado por enfermeiros. “Eles falam que nós não podemos nos automedicar, mas eu tive que recorrer à automedicação porque eu não tive atendimento com ginecologista e nem condições de pagar por consulta particular”, afirma a paciente.

A estrutura física do centro de saúde também dificulta o acesso a atendimento médico de qualidade. De acordo com o vereador Doutor Sandro (PROS), que requereu a audiência, “a unidade de saúde, que é antiga, não comporta mais o volume de atendimento e a demanda da população, tanto é que foi alugada uma casa onde funciona atualmente um anexo, mas que tem problemas de infraestrutura”.

Inaugurado há pouco mais de dois anos, o anexo conta com uma escada como único acesso ao seu segundo pavimento, o que se constitui como uma barreira para pessoas com dificuldade de locomoção. A gerente do Centro de Saúde, Raquel Sarte Almeida, conta que, diante do obstáculo, a alternativa é limitar ao primeiro piso os serviços às pessoas com mobilidade reduzida. “Nós temos um consultório no andar de baixo e todo paciente que tem dificuldade de subir escadas é atendido embaixo, então, a escada não impede o atendimento de nenhum paciente”, garante Raquel.

Soluções

O vereador Doutor Sandro defende a divisão da área de abrangência onde está localizado o Centro de Saúde Santa Mônica em duas, de modo a ampliar a oferta de serviços e desafogar a unidade básica. Além da reorganização espacial do atendimento, o parlamentar defende a substituição do anexo por uma nova unidade e a reforma da sede do centro, que funciona na Rua dos Canoeiros, e também é inadequada à prestação de serviços básicos de saúde.

Representantes da Secretaria Municipal de Saúde reconheceram que é urgente a construção de um novo prédio para abrigar o Centro de Saúde Santa Mônica. Eles informaram que a nova unidade será construída por meio de uma PPP. Segundo a PBH, o processo licitatório termina no dia 30 de agosto.

“Nós vamos continuar cobrando do governo onde está essa PPP, que até hoje não saiu. Isso já está prometido há bastante tempo. Há uns dois anos já se discute isso e nada acontece”, cobra Doutor Sandro. Já houve uma tentativa de licitar um projeto de natureza semelhante no começo de 2012, mas, naquele momento, a licitação não teve sucesso, pois não houve a apresentação de propostas.

Assista aqui à reunião na íntegra. 

Superintendência de Comunicação Institucional

Divulgar conteúdo