AUDIÊNCIA PÚBLICA

Ineficiências do BRT/MOVE serão discutidas em audiência pública

11/08/2014 ()

Evento aberto ao público vai acontecer nesta quarta-feira, às 11h, no Plenário Helvécio Arantes

BRT/MOVE

As reclamações de usuários do transporte público coletivo da capital quanto ao funcionamento do novo sistema BRT/Move serão discutidas em audiência pública da Comissão de Legislação e Justiça nesta quarta-feira (13/8), às 11h, no Plenário Helvécio Arantes.

As insatisfações dos usuários com o novo sistema dizem respeito à superlotação, ao descumprimento de horários pelo BRT/MOVE, bem como à extinção de algumas linhas convencionais após a inauguração do serviço no dia 8 de março. A redução no número de linhas tem feito com que usuários sejam obrigados a pegar mais ônibus para chegar ao mesmo destino.

Na reunião plenária desta segunda-feira (11/8), o vereador Juninho Paim (PT) abordou o tema, destacando que a insatisfação da população com o BRT/MOVE já foi atestada por pesquisa de opinião pública.

Além disso, rádios, jornais, televisões e internet têm dedicado espaço às insatisfações, veiculando matérias onde o público se mostra decepcionado com o novo serviço. A realidade diferente do cenário prometido pelos anúncios da administração municipal também fez com que um usuário do BRT/MOVE criasse um site, que já abriga centenas de relatos de mau funcionamento do sistema.

Foram convidados para tratar das inadequações do BRT/MOVE na audiência pública os representantes da Prefeitura de Belo Horizonte e da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte S/A (BHTrans).

Superintendência de Comunicação Institucional

Má iluminação pública em bairros de BH será tema de debates

11/08/2014 ()

No escuro, moradores reclamam do aumento da violência urbana

No escuro, moradores reclamam do aumento da violência urbana

A falta de postes de luz e a demora na troca de lâmpadas queimadas têm deixado moradores de vários bairros da capital com medo de sair de casa à noite. No escuro, a população se sente insegura e teme assaltos. O assunto vai estar em pauta em audiência pública da Comissão de Legislação e Justiça nesta quarta-feira (13/8), às 9h, no Plenário Camil Caram.

De acordo com moradores dos bairros Serra, Prado, Gutierrez, Cruzeiro, Mangabeiras, Boa Vista, Nova Vista e Santa Inês, a demora para substituir uma lâmpada queimada chega até dois meses. Segundo eles, a escuridão cria condições favoráveis para a violência urbana.  

Hoje, a manutenção da rede elétrica é feita pela Cemig. Mas a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) transferiu aos municípios o ônus pelo serviço prestado. As prefeituras têm até dezembro deste ano para contratarem as prestadoras do serviço. A taxa de iluminação pública é paga pelo consumidor na conta de luz ou na guia anual do IPTU.

Foram convidados para o debate representantes da Secretaria Municipal de Governo, Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) e  Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

Superintendência de Comunicação Insitucional

Em pauta, atendimento no Centro de Saúde Santa Mônica

04/08/2014 ()

Sede precisa ser ampliada e anexo não atende satisfatoriamente

Em pauta, atendimento no centro de saúde Santa Mônica

As condições de atendimento no Centro de Saúde Santa Mônica e seu anexo (Bairro Santa Mônica, região de Venda Nova) serão tema de audiência pública da Comissão de Saúde e Saneamento na próxima quarta-feira (6/8), no Plenário Helvécio Arantes, às 20h. O requerimento é de autoria do vereador Doutor Sandro (PROS), que é médico e trabalhou na unidade durante 22 anos.

Segundo informações do gabinete do parlamentar, recentemente o centro teve uma expansão com o aluguel de uma casa para implantação de um anexo (há aproximadamente 2 km da sede). Mas a unidade enfrenta dificuldades: a sede é antiga e precisa ser ampliada e no anexo o atendimento é feito no 2º andar e não há elevadores (prejudicando pessoas com mobilidade reduzida), além de terem sido relatados, em visitas técnicas, problemas nas condições de trabalho. Consequentemente, o atendimento na unidade de saúde fica prejudicado. A intenção da audiência é proporcionar um diálogo entre funcionários, usuários e gestão do centro para encontrar soluções para os problemas relatados.

Foram convidados para o evento representantes das secretarias municipais de Governo, Saúde e Administração Regional Municipal Venda Nova; gerências do Distrito Sanitário Venda Nova e Centro de Saúde Santa Mônica; Comissão Local de Saúde do Centro de Saúde Santa Mônica; associações dos Amigos do Bairro Santa Mônica e Comunitária do Bairro Santa Mônica.

Superintendência de Comunicação Institucional

Divulgar conteúdo